Notícias da URI Erechim

Fisioterapia irá promover reabilitação ambulatorial dos pacientes Pós-Covid

23/02/2021 - 1063 exibições

   



Sabe-se que a COVID-19 tem acometido muitas pessoas em Erechim e na região Alto Uruguai e um bom número delas apresentou piora no quadro respiratório necessitando de atendimento hospitalar. Por esta razão, tendo conhecimento de todos os problemas causados por essa pandemia, e sabendo da necessidade desses pacientes em realizarem a reabilitação, o Curso de Fisioterapia da URI Erechim abraça essa causa e expande o Programa de Reabilitação Cardiopulmonar e Metabólica já existente, para atender pacientes PÓS-COVID-19. O atendimento vai ocorrer junto à Clínica de Fisioterapia, localizada no Centro de Estágios e Práticas Profissionais (URICEPP).

A reabilitação ambulatorial será realizada pelos estagiários do 5º ano, supervisionado de forma direta e presencial pelos professores e preceptores. Todos os pacientes que tiveram COVID de Erechim e da Região Alto Uruguai, que ainda apresentam sintomas importantes e incapacitantes, podem participar do Programa de Reabilitação. Os interessados devem entrar em contato com a secretária da Clínica Escola de Fisioterapia da URI, pelo fone 3520-9000 – ramal 9311.

Segundo o fisioterapeuta e preceptor do Curso de Fisioterapia, Diogo Tápia, alguns pacientes acometidos pela COVID-19 desenvolvem formas leves, moderadas e graves da doença e as sequelas não são só respiratórias. “Muitos pacientes, após a alta hospitalar, apresentam déficits importantes neurológicos, musculoesqueléticos, cardiovasculares, entre outros, necessitando uma abordagem multiprofissional”, ponderou.

A fisioterapeuta e professora do Curso, Fernanda Dal’Maso Camera, enfatiza que, “com essas inúmeras complicações, o processo de reabilitação ambulatorial para esses pacientes é fundamental, visando o restabelecimento das atividades pessoais e profissionais de forma segura”.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde(OMS), a COVID-19, causada pelo coronavírus (Sars-CoV-2), compromete inicialmente o sistema respiratório, porém, outros sistemas como muscular, vascular, neurológico, renal, entre outros, também são comprometidos, o que a classifica como uma doença sistêmica.

Dessa forma, entende-se o motivo pelo qual os pacientes, ao terem alta hospitalar, depois de meses internados, enfrentam uma outra luta que é o retorno a uma vida normal. Para a maioria, isso significa motivo de angústia e preocupação, pois muitos pacientes encontram-se debilitados e com diversas sequelas, o que impossibilita o retorno às atividades pessoais e profissionais.

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) trouxe consigo diversos desafios para as equipes multiprofissionais que atuam no combate dessa doença nos hospitais, bem como nos centros de reabilitação do mundo todo. Mais do que nunca, profissionais da área da saúde tiveram que se unir e trabalhar muito de forma conjunta para salvar vidas.

No cenário atual, onde os hospitais permanecem com a demanda de pacientes internados com COVID-19, as clínicas de fisioterapia e centros de reabilitação também já estão recebendo pacientes necessitando restabelecer as funções do corpo e da mente devido as sequelas oriundas das complicações da doença. Neste momento, diz a Coordenadora do Curso, Janesca Mansur Guedes, “o profissional fisioterapeuta continua a ter um papel importante nesta pandemia para atender a demanda de pacientes que o procuram em clínicas e consultórios para tratar e recuperar as sequelas adquiridas pela doença. Por isso, decidimos entrar nessa luta também”, justifica.

Ver mais notícias