Plano de EnsinoURI Câmpus de Erechim
 

PLANO DE ENSINO

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA E CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Disciplina: ÉTICA E LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL DE ENGENHARIA

Código: 30-485

Carga Horária: 40h (Teórica: 40)

Nº de Créditos: 02

 

1. EMENTA

Filosofia e objetivos da ética na profissão do Engenheiro. Código de ética profissional de Engenharia e sanções disciplinares. Sistema e legislação profissional de Engenharia.

 

2. OBJETIVOS

A disciplina visa trabalhar a Ética Profissional da Engenharia e sua relação com o sistema profissional CONFEA-CREAs com o objetivo de informar o egresso sobre sua correta atuação no mercado de trabalho. Buscando-se atender estas competências alguns objetivos específicos são delineados:

- Trabalhar as questões éticas relacionadas à profissão do Engenheiro;

- Interpretar o código de ética profissional de Engenharia;

- Conhecere aplicar com ética a legislação profissional e atos normativos no âmbito do exercício da profissão do Engenheiro;

- Ser capaz de compreender a legislação de Engenharia, a ética e a responsabilidade profissional e avaliar os impactos das atividades de engenharia na sociedade e no meio ambiente;

- Atuar eticamente sempre respeitando a legislação, zelando para que isto ocorra também no contexto em que estiver atuando.

 

3. CONTEÚDOS CURRICULARES

UNIDADE DE ENSINO 01 – ÉTICA PROFISSIONAL DO ENGENHEIRO

Esta unidade visa trabalhar as questões relacionadas a Ética da profissão do Engenheiro trazendo as principais definições e objetivos, responsabilidades, liberdade e coação, visando trabalhar as questões éticas relacionadas à profissão do Engenheiro.

 

UNIDADE DE ENSINO 02 – CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO ENGENHEIRO

Esta unidade se propõe a estudar o código de ética profissional da Engenharia, visando a sua interpretação por meio de sua aplicação

 

Atividade Prática 01: Aplicação do código de ética profissional simulando a tramitação de um processo junto ao conselho de Engenharia, no intuito de capacitar o acadêmico para a sua adequada interpretação.

 

UNIDADE DE ENSINO 03 – SISTEMA PROFISSIONAL DE ENGENHARIA – CONFEA - CREA

Está unidade de ensino visa apresentar o sistema profissional CONFEA-CREA, destacando sua importância para a profissão de Engenharia no Brasil.

 

Atividade Prática 02: Edição de um vídeo com o depoimento do grupo sobre a atividade de Engenharia no Brasil e a atuação do conselho. Esta unidade de ensino visa, além das competências acima listadas, também trabalhar as questões de comunicação e tecnologias da informação.

 

UNIDADE DE ENSINO 04 – EXERCÍCIO PROFISSIONAL DO ENGENHEIRO

Esta unidade visa informar o acadêmico sobre sua atuação profissional respeitando suas atribuições e implicações no contexto social, capacitando o acadêmico para compreender a legislação, a ética e a responsabilidade profissional e avaliar os impactos das atividades de engenharia na sociedade e no meio ambiente

 

Atividade Prática 03: Elaboração de um pôster sobre suas habilitações e implicações no contexto social. Esta unidade de ensino visa, além das competências acima listadas, também trabalhar as questões de comunicação.

 

UNIDADE DE ENSINO 05 – LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL DE ENGENHARIA

Esta unidade visa apresentar as principais legislações profissionais de Engenharia e sua interpretação, trazendo a importância da atuação correta e legal da sua profissão, buscando capacitar o acadêmico para atuar eticamente dentro da legislação que regula sua profissão.

 

Atividade prática 04: Solução de um questionário relacionado aos temas trabalhados.

 

UNIDADE DE ENSINO 06 – RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL DO ENGENHEIRO

Esta unidade visa informar e alertar sobre as responsabilidades profissionais intrínsecas à atividade de Engenharia, direitos e deveres, bem como a importância da ART – Anotação de Responsabilidade Técnica, capacitando o egresso para o correto preenchimento de uma ART e a refletir sobe os impactos de sua atuação profissional na sociedade e no meio ambiente.

 

Atividade prática 05: Simulação do preenchimento de uma ART para um caso de atividade profissional de Engenharia.

 

4. METODOLOGIA

Visando desenvolver competências apresentadas, as aulas são desenvolvidas sob a forma de EaD – Ensino à Distância, fazendo-se o uso de plataformas digitais onde o todo o conteúdo e materiais de aula são disponibilizados. No intuito de desenvolver as competências inerentes à disciplina, são usados recursos digitais vinculados à plataforma de trabalho para comunicação com alunos, exposição das aulas e a postagem das tarefas desenvolvidas, bem como as atividades de orientações de trabalhos, que serão também de forma virtual por videoconferência.

 

5. AVALIAÇÃO

A avaliação da disciplina se propõe a verificar se as competências propostas neste plano de ensino foram desenvolvidas pelo acadêmico, por meio dos seguintes instrumentos de avaliação: provas escritas, seminários e realização de trabalhos. As avaliações serão realizadas ao longo do semestre e distribuídas uniformemente de acordo com o plano de ensino. No instrumento de avaliação haverá de forma explícita e por escrito quanto valerá cada questão.

 

 

 

BIBLIOGRAFIA

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CONFEA-CREA. Código de ética profissional da engenharia, da agronomia, da geologia, da geografia e da meteorologia. 9.ed., Conselho Federal de engenharia e Agronomia, 2014 (1971).

CONFEA-CREA. Lei Federal N. 5194/66. Conselho Federal de engenharia e Agronomia, 1966.

ARISTÓTELES. Ética e Nicômanos. Ed. Univ. Brasília, 1985.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA (BRASIL). O código de ética começa por você, profissional. 7. ed. Brasília: CONFEA, 2011.

MOSCOVICI, F. Desenvolvimento interpessoal: Treinamento em grupo. 19.ed., Rio de Janeiro: José Olympio, 2010.

BERGAMINI, C. W. Motivação nas organizações. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

CHAPPELL, T. A alma do negócio: como administrar em função dos lucros, da ética e do bem comum. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

VASCONCELLOS, M. M. M. Avaliação e ética. Londrina: Eduel, 2002.

CUNHA, Luiz Antônio. Educação, Estado e democracia no Brasil. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2001. 495 p. ISBN 852490447X.

FRIGOTTO, Gaudêncio (Org.). Educação e crise do trabalho: perspectivas de final de século. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2005. 230 p. (Estudos Culturais em Educação). ISBN 8532620272.

SONZA, Andréa Poletto (Org.). Acessibilidade e tecnologia assistiva: pensando a inclusão sociodigital de PNEs. Bento Gonçalves: IFRN, 2013. 352 p. (Novos Autores da Educação Profissional e Tecnológica). ISBN 9788577702077.

CARVALHO E CASTRO, Jary. Ir e Vir – Acessibilidade: compromisso de cada um. Campo Grande: Gráfica Gibim e Editora, 2013. 128 p. ISBN 978-85-61160-11-1.

SALTON, Bruna Poletto; DALL AGNOL, Anderson; TURCATTI, Alissa. Manual de acessibilidade em documentos digitais. Bento Gonçalves: IFRS, 2017. 108 p. ISBN 9788564961074.

 

Notícias do Curso

Ver todas