Plano de EnsinoURI Erechim
 

PLANO DE ENSINO

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

Disciplina: Educação Inclusiva A

Código: 40-733

Carga Horária: 30h

Número de Créditos: 02

 

 

1 EMENTA

Compreender e significar a cultura corporal de movimento na perspectiva da inclusão das múltiplas deficiências em espaços educativos formais, não-formais e informais. Instrumentalizar e subsidiar aportes teórico-práticos para o desenvolvimento de ações inclusivas no âmbito das práticas corporais adaptadas. Incentivar a pesquisa e adaptação dos espaços, dos procedimentos nas diferentes alterações funcionais das deficiências.

 

 

2 OBJETIVOS

  • Conhecer e identificar as principais características e alterações funcionais dos quadros de deficiência;
  • Potencializar o aprofundamento teórico de quadros específicos das principais deficiências estabelecendo relações com as práticas corporais adaptadas;
  • Promover e estimular a produção científica de subsídios teóricos e práticos para a inclusão e adaptação dos deficientes nos diferentes espaços de atuação;
  • Vivenciar a prática de jogos, brincadeiras, esportes, danças, atividades e exercícios adaptados às múltiplas deficiências.
  • Organizar o processo de intervenção e aplicar os conhecimentos em Educação Física Educação Física Inclusiva.

 

 

3 CONTEÚDOS CURRICULARES

Aspectos históricos e legais em educação inclusiva;

Principais deficiências, conceituação, tipologia e alterações;

Significados em educação física inclusiva;

Lei Nº 13.146, de 06 de julho de 2015. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência), destinada a assegurar e a promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoa com deficiência, visando à sua inclusão social e cidadania.

Origem e evolução do esporte adaptado;

Classificação das deficiências no esporte adaptado;

Características dos principais esportes adaptados (funcionamento e regras)

Os Jogos Paralímpicos: características, estrutura e funcionamento; O Comitê Paralímpico Internacional e Brasileiro;

As práticas corporais adaptadas às deficiências.

 

 

4 METODOLOGIA

As aulas serão desenvolvidas de forma expositivo-dialogada com a inclusão de atividades teóricas e práticas.

 

 

5 AVALIAÇÃO

A avaliação do aluno e da disciplina será feita através da realização de provas teóricas e práticas bem como, campos de observação.

 

 

BIBLIOGRAFIA

6 BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ADAMS, R. C., DANIEL, A. N., MCCUBBIN, J. A., & RULLMAN, L. Jogos, esportes e exercícios para o deficiente físico. Tradução: Ângela G. Marx. São Paulo: Editora Manole Ltda, 1985.

DUARTE, E. e LIMA, S. Atividade física para pessoas com necessidades especiais. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.A., 2003.

SOLER, R. Educação física inclusiva na escola: em busca de uma escola plural. Rio de Janeiro: Sprint, 2005.

 

7 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BAGATINI, V. F. Psicomotricidade para deficientes. Porto Alegre: Sagra-DC Luzzato, 1992.

BRITO, L. (Org.). Um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Mediação, 2008.

COSTA, R.F.da, GORGATTI, M.G. (ORG). Atividade Física Adaptada. 3 ed. Porto Alegre:Manole, 2013.

RIBAS, J. B. C. O que são pessoas deficientes. São Paulo: Brasiliense, 1993.

WINNICK, G. Adapted physical education. Champaign, Illinois: Human Kinects, 1994.

 

Notícias do Curso

Ver todas