Plano de EnsinoURI Câmpus de Erechim
 

PLANO DE ENSINO

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIAS E CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Disciplina: Análise Estrutural I

Código: 30-332

Carga Horária: 80h (Teórica: 60h) (Prática: 20h)

Créditos: 04

Pré-Requisitos: 10-147

Correquisitos: -

 

EMENTA

Sistemas de forças. Equilíbrio de corpos rígidos. Análise de treliças. Forças em vigas (normais, cisalhantes e fletoras), Diagramas de forças internas normais, cisalhantes e momentos fletores. Vigas Gerber.

 

OBJETIVOS

A disciplina visa desenvolver competências técnicas de aplicação dos conceitos da estática das estruturas, a fim de capacitar o egresso para atuar na área de análise e dimensionamento estrutural. Buscando-se atender essas competências, os seguintes objetivos são apresentados:

- Reconhecer os elementos estruturais treliça e viga;

- Determinar reações de apoio e esforços internos de equilíbrio em estruturas;

- Desenvolver a capacidade de interpretação destes dados;

- Ser capaz de utilizar técnicas adequadas de observação, compreensão, registro e análise das necessidades dos usuários e de seus contextos sociais, legais, ambientais e econômicos;

- Realizar a avaliação critico reflexiva dos impactos das soluções de engenharia nos contextos sociais, legais, ambientais e econômicos;

- Ser capaz de compreender a legislação, a ética e a responsabilidade profissional e avaliar os impactos das atividades de engenharia na sociedade e no meio ambiente.

 

CONTEÚDOS CURRICULARES

UNIDADE DE ENSINO 01 – INTRODUÇÃO À ESTÁTICA

Trabalhar com os princípios gerais e conceitos fundamentais da mecânica estática, desenvolvendo competência para sua aplicação no âmbito do equilíbrio de um ponto material e de corpos rígidos.

 

UNIDADE DE ENSINO 02 – SISTEMAS DE FORÇAS

Trabalhar com os conceitos de sistemas de forças, força resultante e equilíbrio de corpos rígidos, desenvolvendo competência para sua aplicação no âmbito do estudo de estruturas de engenharia.

 

UNIDADE DE ENSINO 03 – TRELIÇAS

Definir, classificar e aplicar os conceitos da estática na análise de treliças isostáticas, desenvolvendo competência para a determinação dos seus esforços internos de equilíbrio.

 

TDE 01 – Atividade conforme normatização envolvendo os conteúdos da unidade de ensino 03.

 

UNIDADE DE ENSINO 04 – ESFORÇOS SOLICITANTES EM VIGAS

Definir, classificar e aplicar os conceitos da estática na análise de vigas isostáticas, desenvolvendo competência para a determinação dos seus esforços internos de equilíbrio e para o traçado dos diagramas de esforços internos.

UNIDADE DE ENSINO 05 – VIGAS GERBER

Definir, classificar e aplicar os conceitos da estática na análise de vigas Gerber, desenvolvendo competência para a determinação dos seus esforços internos de equilíbrio e para o traçado dos diagramas de esforços internos.

 

TDE 02 – Atividade conforme normatização envolvendo os conteúdos das unidades de ensino 04 e 05.

 

METODOLOGIA

Visando desenvolver competências apresentadas, as aulas poderão ser desenvolvidas de forma variada e terão como metodologias: a tradicional (expositivo-dialogadas com estudos dirigidos), a ativa e a sócio-interacionista. No intuito de desenvolver as competências inerentes à disciplina, poderão ser utilizados recursos de multimídia como projetores de imagem e vídeo, materiais concretos e softwares matemáticos, e a contextualização se dará através da resolução de problemas. Os alunos desenvolverão Trabalhos Discente Efetivos (TDEs) no total de 20h, podendo envolver resolução de exercícios, estudos de caso, problemas reais, pesquisas bibliográficas, entre outros, por meio da aplicação dos conceitos trabalhados e inerentes à área da Análise Estrutural.

 

AVALIAÇÃO

A avaliação da disciplina se propõe a verificar se as competências propostas neste plano de ensino foram desenvolvidas pelo acadêmico, podendo ser por meio dos seguintes instrumentos de avaliação: provas escritas, trabalhos, apresentação de trabalhos e Trabalhos Discentes Efetivos, estes últimos valendo 20% da média parcial. As avaliações serão realizadas ao longo do semestre e distribuídas uniformemente de acordo com o plano de ensino. No instrumento de avaliação haverá de forma explícita e por escrito quanto valerá cada questão. Na apresentação do plano de ensino aos alunos, deverá ser informada a sistemática de avaliação da disciplina.

 

BIBLIOGRAFIA

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BEER, F. P.; JOHNSTON, E. R. Mecânica vetorial para engenheiros: estática. 5. ed. São Paulo: Makron Books, 2006. v.1.

HIBBELER, R. C. Estática: mecânica para engenharia. 10. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005. V. 1.

SHAMES, I. H. Estática: mecânica para engenharia. 4.ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002. V.1.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BEER, F. P.; JOHNSTON JR., E. R. Mecânica vetorial para engenheiros: Cinemática e dinâmica. 5. ed. São Paulo: Makron Books do Brasil, 1994.

FRANÇA, L. N. F.; MATSUMURA, A. Z. Mecânica geral. 2. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 2004.

KAMINSKI, P. C. Mecânica geral para engenheiros. São Paulo: Edgard Blücher, 2000.

MERIAM, J. L; KRAIGE, L. G. Mecânica estática. 4. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999.

SHIGLEY, J. E.; MISCHKE, C. R.; BUDYNAS, R. G. Projeto de engenharia mecânica. 7. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.

 

Notícias do Curso

Ver todas