Plano de EnsinoURI Câmpus de Erechim
 

PLANO DE ENSINO

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

ESTÁGIO EM CLÍNICA INTEGRADA DE PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS

CÓDIGO: 40-787

PRÉ-REQUISITO: 40-781

CARGA HORÁRIA: 60 (Prática: 60)

Nº DE CRÉDITOS: 04

 

1 EMENTA

Atenção odontológica integral ao paciente com necessidades especiais. Abordagem multiprofissional e interdisciplinar. Educação em saúde. Legislação, Ética e Garantia dos Direitos.

 

2 OBJETIVO GERAL

Proporcionar ao acadêmico o conhecimento sobre a atenção odontológica de pacientes com necessidades especiais.

 

3 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

  • Proporcionar ao acadêmico as habilidades e competências, sob o aspecto do conhecimento teórico e domínio prático, no manejo odontológico diante dos diferentes tipos de pacientes com necessidades especiais
  • Estimular o acadêmico para que se mantenha atualizado através de leitura de livros e periódicos referentes à temática.
  • Promover a saúde e prevenir as doenças bucais através de ações em saúde e a corresponsabilização com os pais/cuidadores.
  • Proporcionar ao acadêmico subsídios teóricos que fortaleçam o entendimento sobre a garantia dos direitos de pessoas com necessidades especiais.
  • Estimular o acadêmico a observar o paciente de forma ampliada, diagnosticando as necessidades clínicas, planejar a terapêutica de cada caso, fundamentada no contexto sociocultural e econômico.

 

4 CONTEÚDOS CURRICULARES

  1. Atendimento de pacientes infantis.
  2. Aprendizagem baseada em problemas.

 

5 METODOLOGIA

No estágio em Clínica Integrada de Pacientes com necessidades Especiais, o acadêmico continuará o desenvolvimento de habilidades e competências para a atenção integral de diferentes pessoas com deficiência/necessidade especial por meio de atendimentos clínicos.

Durante este estágio o acadêmico será estimulado a buscar o conhecimento a fim de resolver problemas clínicos propostos pelos professores/preceptores do estágio. Estes problemas serão previamente definidos pelos preceptores e discutidos com os acadêmicos em momentos pré-estabelecidos ao longo do semestre.

Os problemas a serem resolvidos pelos acadêmicos envolvem os seguintes temas:

-  Conceitos, classificação, aspectos legais e éticos, processo de luto.

- Anamnese, exame físico e plano de tratamento

- Deficiências sensoriais

- Deficiência intelectual

- Deficiência física e alterações neuropsicomotoras

- Deficiência múltipla

- Distúrbios comportamentais e psiquiátricos

- Anomalias congênitas

- Doenças sistêmicas crônicas

- Doenças infectocontagiosas

- Estabilização e contenção

- Atenção hospitalar

 

6 AVALIAÇÃO

A avaliação dos acadêmicos será baseada no desenvolvimento de habilidades e competências, necessárias para a atuação profissional, registradas por meio do desempenho em atividades práticas/clínicas (por meio de critérios pré-estabelecidos) ao longo do semestre. Para a composição numérica da Média Final do acadêmico, será elaborada uma Nota 1 (que compreenderá à nota atribuída ao desempenho clínico na primeira metade do semestre) e uma Nota 2 (correspondendo à nota atribuída ao desempenho durante a segunda metade do semestre). A média aritmética da Nota 1 e Nota 2 resultará na Média Final semestral. A variação possível para a composição de cada avaliação será de 0 (zero) a 10 (dez).    

As avaliações serão realizadas semanalmente e para isso o docente deverá avaliar as habilidades e competências dos acadêmicos para a realização das atividades clínicas. Os critérios de avaliação são pré-definidos, estarão dispostos em uma planilha e compreendem os seguintes aspectos:

  • Pontualidade: o acadêmico deve estar com materiais/instrumentais prontos para iniciar as atividades no horário de início da sua turma prática. O atraso sem justificativa oficial plausível diminuirá a nota prática. A justificativa para qualquer falta, deverá ser apresentada para um dos professores da disciplina para análise. A falta não justificada oficialmente resultará em nota 0 (zero) na atividade prática da respectiva data. A falta justificada e aceita pelos professores como tal, excluirá a data do cálculo final da média prática.
  • Instrumental: o acadêmico deverá sempre portar todos os instrumentais e materiais requisitados na lista da disciplina. A organização e limpeza dos materiais e instrumentais também serão avaliados.
  • Habilidade técnica: compreende à condução adequada das etapas dos procedimentos.
  • Competência: qualidade dos procedimentos: anamnese, diagnóstico, exames clínicos e complementares e realização do tratamento, que devem ser fundamentados em conceitos e técnicas baseadas em evidências científicas.
  • Participação: nível de envolvimento e participação nas atividades desenvolvidas em clínica, como a discussão e resolução de casos clínicos.   
  • Tempo de execução dos procedimentos: dentro do horário determinado para as aulas práticas.
  • Aspectos Éticos: relacionamento com paciente e seus responsáveis, com colegas, professores e funcionários. Preenchimento de prontuários e assinatura de termos.
  • Biossegurança e Paramentação: será observada conforme as normas da disciplina de Biossegurança. A paramentação inadequada poderá implicar no cancelamento da atividade e o aluno receberá nota 0 (zero).

           Para ter aprovação, o acadêmico precisa cumprir com a frequência de 100% (cem por cento), obter a média com nota mínima de 5,0 (cinco) e não há exame final.

 

7 BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ELIAS, Roberto João. Atendimento a pacientes de risco em Odontologia. Rio de Janeiro: Revinter, 2009.

ELIAS, Roberto João. Odontologia para pacientes com necessidades especiais: uma visão clínica. São Paulo: Santos, 2007.

VARELLIS, Maria Lúcia Zarvos. O Paciente com Necessidades Especiais na Odontologia: Manual Prático, 3 ed. São Paulo: Santos, 2017. (Biblioteca Virtual)

 

8 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

COHEN, Stephen; HARGREAVES, Kenneth M. (Coord.). Caminhos da polpa. 10. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

LITTLE, James W. et al. Manejo odontológico do paciente clinicamente comprometido. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

SANTOS, Paulo Sérgio da Silva; SOARES JUNIOR, Luiz Alberto Valente. Medicina bucal: a prática na odontologia hospitalar. São Paulo: Santos, 2012.

SILVA, Luis Cândido Pinto da; CRUZ, Roberval de Almeida. Odontologia para pacientes com necessidades especiais: protocolos para o atendimento clínico. São Paulo: Santos, 2009.

SOUZA, Ivete Pomarico Ribeiro de; CASTRO, Gloria Fernanda. Abordagem odontológica da criança infectada pelo HIV. São Paulo: Santos, 2008.

 

Notícias do Curso

Ver todas