Plano de EnsinoURI Câmpus de Erechim
 

PLANO DE ENSINO

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

DISCIPLINA DE PRÓTESE PARCIAL FIXA II

CÓDIGO: 40-776

PRÉ-REQUISITO: 40-770

CARGA HORÁRIA: 90 (Teórica: 30 / Prática: 60)               

Nº DE CRÉDITOS: 06

 

1 EMENTA

Prótese parcial fixa três ou mais elementos. Elementos componentes. Indicações e contraindicações. Princípios biomecânicos. Preparo intrarradicular. Exame clínico e preparo do paciente. Dente suporte. Prótese provisória de proteção. Moldagem. Retentores. Pônticos. Conectores. Cimentação provisória e definitiva Montagem em articulador semi-ajustável. Prótese adesiva.

 

2 OBJETIVO GERAL

Proporcionar aos acadêmicos o conhecimento necessário para determinar a indicação de próteses parciais fixas (PPF) de três ou mais elementos, bem como para o planejamento e confecção das mesmas em pacientes.

 

3 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

- Proporcionar aos acadêmicos embasamento teórico para o planejamento e execução das fases clínicas e laboratoriais necessárias para a execução de PPF.

- Possibilitar aos acadêmicos o desenvolvimento de habilidades práticas referentes a cada etapa envolvida na confecção de PPF de três ou mais elementos.

 

4 CONTEÚDOS CURRICULARES

  1. Técnicas de moldagens em prótese parcial fixa parte I
  2. Técnicas de moldagens em prótese parcial fixa parte II
  3. Obtenção de modelos e troqueis.
  4. Registros intermaxilares e montagem em articulador.
  5. Processos laboratoriais para confecção de próteses fixas.
  6. Análise, ajustes e transferência de componentes protéticos
  7. Aspectos e técnicas de escolha de cor em prótese fixa.
  8. Provas e ajustes nos elementos cerâmicos prévios a cimentação.
  9. Cimentação.
  10. Indicação e planejamento das próteses fixas de três ou mais elementos.
  11. Princípios biomecânicos para prótese fixas de três ou mais elementos.
  12. Característica dos preparos dentais para prótese fixa de três ou mais elementos.
  13. Biomecânica em prótese fixa.
  14. Oclusão e articuladores em prótese fixa.
  15. Manutenção dos trabalhos protéticos.

 

5 METODOLOGIA

As aulas serão conduzidas na construção do aprender, utilizando experiências reais ou simuladas, visando as condições de solucionar, com sucesso, tarefas essenciais da prática em diferentes situações. Para isto poderão ser desenvolvidas atividades de pesquisa com busca por literatura; estudos de casos com a utilização dos materiais em cada situação; estudos por meio da metodologia da problematização levantando as diferentes possibilidades de tratamento com os recursos disponíveis, aprendizagem baseadas em problemas, buscando alternativas para a resolução, seminários individuais ou em grupos e simulações laboratoriais com as técnicas e materiais preconizadas na disciplina. Para estas atividades serão empregados recursos audiovisuais que favoreçam a visualização das técnicas desenvolvidas com repetição sistemática para completo desenvolvimento manual e científico. Para uma experiência ainda maior poderá ser realizado atendimento clínico aos pacientes na Clínica Escola com ênfase ao planejamento e execução de tratamento reabilitador.

 

6 AVALIAÇÃO

Serão realizadas avaliações, individuais ou coletivas, visando acompanhar o aprendizado dos alunos em termos de conhecimentos teóricos e habilidades desenvolvidas ao longo da disciplina. Dentre estas atividades poderão ser incluídas provas, estudos de caso, seminários, relatórios, estudos dirigidos, análise de artigos científicos, avaliação do desempenho nas aulas práticas, entre outras.

Casos específicos de dificuldades apresentadas pelos alunos em relação a acessibilidade ou dificuldades de aprendizado serão consideradas durante a condução das aulas teóricas e práticas. Cada situação será considerada pelo corpo docente e as adequações necessárias para o pleno aproveitamento das atividades por todos os alunos que compõem a turma serão executadas. Os alunos com dificuldades de aprendizado poderão ser encaminhados, caso necessário, à coordenação do curso de Odontologia, a qual direcionará o aluno ao serviço do CEAPPI (Centro de Estudos e Acompanhamento Psicológico e Psicopedagógico). Alunos que declararem-se com deficiência poderão ser direcionados ao Núcleo de Acessibilidade da URI.

 

Atividades avaliativas e pesos:

Atividade

Valor

Atividade

Valor

Atividade

Valor

PROVA 1*

10

PROVA 2*

10

Prática

10

Nota do semestre = Médica aritmética da soma de Prova 1 + Prova 2 + Prática

*Provas teóricas individuais e sem consulta.

 

Observações Importantes:

  • As análises de aprendizagem individuais (provas) serão escritas, constituídas por questões discursivas e objetivas, aplicadas em data previamente marcada.
  • O aluno que se ausentar no dia da realização da prova só terá direito à prova substitutiva mediante processo administrativo devidamente protocolado e autorizado pela coordenação do curso.
  • Os trabalhos devem ser entregues em sala de aula, em documento impresso ou manuscrito, de acordo com o tipo de atividade.
  • Os trabalhos entregues com atraso terão a redução de 30% do valor e poderão ser recebidos até a aula da semana seguinte, a partir da data de entrega determinada. Não cabem formas substitutivas para os mesmos.
  • Receberão nota 0 (zero) os trabalhos que apresentarem sinais de cópias de outros trabalhos, contiverem evidências de material literalmente copiado ou traduzido de livros ou Internet.

 

Em relação aos trabalhos avaliativos (escritos ou orais, coletivos ou individuais), serem itens de avaliação:

  • Qualidade das ideias: fundamento das ideias, correlação de conceitos e inferências, riqueza na argumentação, profundidade dos pontos de vista.
  • Uso correto de linguagem: linguagem científica (escrita e aplicação correta de termos), gramática, normas técnicas de apresentação/digitação.
  • Criatividade e originalidade
  • Condições de aprovação e reprovação:
    • Média final 4,9 - reprovação;
    • Média final entre 5,0 e 6,9 - exame.
    • Média final 7,0 ou superior - aprovação.
    • O exame compreenderá todos os conteúdos ministrados na disciplina de Prótese Parcial Fixa II.

 

Acordo de Convivência:

Educação, respeito, gentileza, harmonia, postura ética, pro-atividade, colaboração, participação. Sugestões dos alunos: empatia, humildade, responsabilidade, paciência, persistência, compromisso.

 

7 BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BARATIERI, Luiz Narciso (Coord.). Visão clínica: casos e soluções. Florianópolis: Ponto, 2010.

PEGORARO, Luiz Fernando et al. Prótese fixa: bases para o planejamento em reabilitação oral. São Paulo: Artmed, 2013. (Biblioteca Virtual)

CAMPOS, Adeliani A. Prótese fixa para o clínico. São Paulo: Santos, 2003.

PEREIRA, Jefferson Ricardo. Retentores intrarradiculares. São Paulo: Artmed, 2011.

 

8 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANUSAVICE, Kenneth J. Phillips, materiais dentários. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

EDUARDO, Carlos de Paula et al. Estética dental: como fazer e como manter. São Paulo: Santos, 2012.

KINA, Sidney. Equilibrium: cerâmicas adesivas case book. São Paulo: Artmed, 2009.

MCNEILL, Charles. Ciência e prática da oclusão. São Paulo: Quintessence, 2000.

VOLPATO, Cláudia Ângela Maziero. Próteses odontológicas: uma visão contemporânea fundamentos e procedimentos. São Paulo: Santos, 2013.

DAWSON, Peter E. Oclusão funcional: da ATM ao desenho do sorriso. São Paulo: Santos, 2008.

 

Notícias do Curso

Ver todas