Plano de EnsinoURI Câmpus de Erechim
 

PLANO DE ENSINO

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

DISCIPLINA DE CIRURGIA E TRAUMATOLOGIA BUCOMAXILOFACIAL I

CÓDIGO: 40-765

PRÉ-REQUISITOS: 40-762, 40-754

CARGA HORÁRIA: 90 (Teórica: 30 / Prática: 60)           

Nº DE CRÉDITOS: 06

 

1 EMENTA

Princípios de tratamento dos dentes inclusos. Cirurgias pré-protéticas e dos tecidos moles. Tratamento cirúrgico de patologias maxilofaciais. Cirurgias odontológicas em ambiente hospitalar.

 

2 OBJETIVO GERAL

Procedimentos cirúrgicos em âmbito ambulatorial, sob anestesia local (exodontias simples, biópsias da cavidade oral e exodontias complexas).

 

3 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

- Proporcionar ao aluno o conhecimento em diagnóstico e tratamento das condições bucais que necessitem intervenção cirúrgica, com foco nos procedimentos de exodontias simples.

- Fornecer meios para que o aluno execute procedimentos de exodontias, sob anestesia local, sob a supervisão e orientação do professor;

- Permitir ao aluno o desenvolvimento de um raciocínio a respeito do diagnóstico, plano de tratamento em cirurgia bucomaxilofacial, prevenção e tratamento de possíveis acidentes e complicações

- Estimular o aluno ao entendimento das doenças sistêmicas e das suas correlações com a prática cirúrgica odontológica

- Instruir os alunos na prescrição clínica racional de medicamentos em cirurgia bucomaxilofacial, de forma a assegurar terapêuticas eficazes e seguras.

 

4 CONTEÚDOS CURRICULARES

1. Princípios do tratamento dos dentes retidos;

2. Cirurgias pré-protéticas e dos tecidos moles;

3. Biópsias da cavidade oral;

4. Tratamento Cirúrgico das patologias maxilofaciais;

5. Cirurgia pré-protética dos tecidos duros;

6. Biópsias;

7. Tratamento das lesões císticas;

8. Tratamento das lesões benignas;

9. Reimplante e transplante dental;

10. Princípios de cirurgia odontológica em ambiente hospitalar.

 

5 METODOLOGIA

As aulas teóricas serão apresentadas com o auxílio de recursos audiovisuais. Além de slides, utilização do quadro, serão demonstradas técnicas cirúrgicas através de vídeos e utilização de crânios em resina acrílica para a demonstração de técnicas. As aulas práticas acontecerão cínica do URICEPP (URI/Centro de Estágios e Práticas Profissionais), onde os alunos irão executar os procedimentos de baixa complexidade em cirurgia bucomaxilofacial em pacientes. Os pacientes serão avaliados pelos alunos, sob a supervisão dos professores. Após a avaliação inicial e obtenção de exames de imagem, será formulado o diagnóstico de cada caso em específico. Os alunos formularão, por escrito, sob a supervisão do professor, um plano de tratamento detalhando o passo-a-passo para a realização de cada cirurgia. Após a aprovação pelo professor, o procedimento cirúrgico poderá ser executado. Possíveis dificuldades apresentadas pelos alunos em relação a acessibilidade ou dificuldades de aprendizado serão consideradas durante a condução das aulas teóricas e práticas, considerando cada caso e executando as adequações necessárias para o pleno aproveitamento das atividades por todos os alunos que compõem a turma. Alunos com dificuldades de aprendizado serão encaminhados à coordenação do curso de Odontologia, a qual irá direcionar o aluno ao serviço do CEAPPI (Centro de Estudos e Acompanhamento Psicológico e Psicopedagógico). Alunos que declarem-se com deficiência serão direcionados ao Núcleo de Acessibilidade da URI.

 

6 AVALIAÇÃO

A avaliação dos alunos será baseada em seu desempenho teórico e prático ao longo do semestre. Para isso, será composta uma média semestral na disciplina, a qual será constituída pelas avaliações teórica e prática.

         A avaliação teórica será composta pela média aritmética entre 2 (duas) provas durante o semestre (T1, T2), com questões dissertativas e/ou objetivas (incluindo somatórias), com pesos semelhantes: T1 = 10 pontos e T2 = 10 pontos. A nota teórica resultará em uma média entre 0 (zero) a 10 (dez), e será calculada: (T1 + T2) /2. O conteúdo teórico será cumulativo durante o semestre e poderá ser requisitado em todas as provas. Todas as questões deverão ser obrigatoriamente respondidas com caneta e letra legível. Questões respondidas à lápis e/ou ilegíveis serão consideradas erradas (nota = 0). Questões objetivas rasuradas e questões (objetivas ou descritivas) não respondidas também serão anuladas. O aluno que não preencher o campo reservado à sua identificação na prova receberá a nota 0 (zero), independentemente de ter respondido corretamente as questões.

         Em casos de faltas nas datas de realização das provas, o aluno terá direito à prova substitutiva caso apresente justificativa plausível e oficial. A eventual prova substitutiva será realizada em data a ser definida pelos professores conforme a disponibilidade de datas e horários. A justificativa para qualquer falta, em dia de prova ou qualquer outra atividade, deverá ser apresentada para um dos professores da disciplina para análise e para a coordenação do curso.

         Situações específicas onde o aluno apresente dificuldades de acesso as informações presentes na avaliação, dificuldade de entendimento da mesma ou ainda limitações motoras, a prova poderá ser aplicada de modo verbal, onde o professor poderá ditar as questões ao aluno ou apenas ler as questões, a fim de permitir a resolução da avaliação por todos os alunos que compõem a turma. O aluno será encaminhado à coordenação do curso para que possa ser direcionado ao serviço do CEAPPI (Centro de Estudos e Acompanhamento Psicológico e Psicopedagógico).

           A avaliação prática será composta pela média aritmética entre 2 (duas) notas P1 e P2, com pesos semelhantes: P1 = 10 pontos e P2 = 10 pontos referente ao desempenho nas provas práticas. Cada uma dessas duas notas (P1 e P2) serão utilizadas para calcular a média prática, a qual será calculada da seguinte maneira: (P1 + P2) /2.

As provas práticas têm por objetivo uma simulação de atendimento aos pacientes em procedimentos de exodontia. Os alunos deverão executar todos os passos clínicos que compõem o protocolo de atendimento, conforme orientação dos professores ao longo do semestre. Conhecimento prático e teórico serão necessários para a correta execução de alguns importantes passos clínicos. Ao final de cada passo, os professores avaliarão a execução do procedimento, com critérios de avaliação pré-definidos em um planilha de avaliação. Além disso, outros critérios serão observados diariamente nas atividades práticas e durante as provas práticas. O não cumprimento dos seguintes critérios poderão repercutir negativamente na avaliação prática do aluno:

          • Pontualidade/Presença: o aluno deve estar com materiais/instrumentais prontos para iniciar as atividades no horário de início da sua turma prática. O atraso sem justificativa oficial plausível diminuirá a nota prática. A justificativa para qualquer falta, deverá ser apresentada para um dos professores da disciplina para análise. A falta não justificada oficialmente resultará em nota 0 (zero) na atividade prática da respectiva data. A falta justificada e aceita pelos professores como tal, excluirá a data do cálculo final da média prática.

         • Instrumental: o aluno deverá sempre portar todos os instrumentais e materiais requisitados na lista da disciplina de CTBMF.

         • Habilidade técnica: compreende a condução adequada das etapas dos procedimentos.

         • Resultado final: qualidade dos procedimentos (execução dos movimentos de exodontias nos manequins, organização da mesa cirúrgica e dos campos estéreis, execução da sutura)

         • Tempo de execução dos procedimentos: dentro da horário determinado para as aulas práticas.

         • Teoria: conhecimento teórico demonstrado pelo aluno durante a aula e eventuais questionamentos que os professores farão durante os procedimentos.

         • Supervisão: compreende a relação de respeito dos alunos para com os professores.

         • Paramentação: será observada conforme as normas da disciplina de Biossegurança. A paramentação inadequada poderá implicar no cancelamento da atividade e o aluno receberá nota 0 (zero).

          Possíveis limitações motoras ou de acesso as informações referentes a avaliação prática serão consideradas pelo corpo docente, e adequações no método de avaliação poderão ser executadas conforme a necessidade do aluno.

         O aluno que obtiver média final entre 5 (cinco) e 7 (sete) pontos, ainda terá o direito de realizar o exame, a ser confirmado pela Secretaria Acadêmica do Curso de Odontologia, e seguindo as normas do exame previstas no manual acadêmico. O aluno que não atingir a nota mínima de 5 (cinco) pontos na média final do semestre estará automaticamente reprovado, sem direito à realização de exame.

 

7 BIBLIOGRAFIA BÁSICA

MILORO, Michael. Princípios de cirurgia bucomaxilofacial de Peterson. 2. ed. São Paulo: Santos, 2013. (Biblioteca Virtual).

PRADO, Roberto; SALIM, Martha Alayde Alcantara. Cirurgia bucomaxilofacial: diagnóstico e tratamento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2018. (Biblioteca Virtual).

POGREL, M. Anthony; KAHNBERG, Karl-Erik; ANDERSON, Lars. Cirurgia Bucomaxilofacial. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2016.

 

8 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

MEDEIROS, Paulo José et al. Cirurgia dos dentes inclusos/ extração e aproveitamento. São Paulo: Santos, 2007.

JORGE, Waldyr Antônio. Odontologia hospitalar: bucomaxilofacial, urgências odontológicas e primeiros socorros. Rio de Janeiro: Medbook, 2009.

MANGANELLO, Luiz Carlos Souza; SILVEIRA, Maria Eduina da. Cirurgia ortognática e ortodontia. 2. ed. São Paulo: Santos, 2010.

SILVERSTEIN, Lee H. Princípios de sutura em Odontologia: guia completo para fechamento cirúrgico. São Paulo: Santos, 2003.

OLIVEIRA, José Augusto Gomes Pereira de. Traumatologia bucomaxilofacial e reabilitação morfofuncional. São Paulo: Santos, 2012.

 

Notícias do Curso

Ver todas