Plano de EnsinoURI Câmpus de Erechim - Nutrição
 

PLANO DE ENSINO

Departamento de Ciências Biológicas

Disciplina: PARASITOLOGIA GERAL A

Código: 20-780

Carga Horária: 40h (Teórica: 20 horas)  (Prática: 10horas) (TDE: 10 horas)

Nº de Créditos: 02

 

Ementa

Estudo das principais parasitoses humanas. Epidemiologia, morfologia, patogenia, sintomatologia, transmissão, ciclo biológico, diagnóstico e prevenção dos  protozoários, helmintos, platelmintos e artrópodes de importância para as Ciências da Saúde.

 

Objetivos

A disciplina visa desenvolver à habilidade de reconhecer as principais manifestações clínicas das parasitoses humanas, avaliar ações de prevenção das parasitoses que acometem o homem, individual e coletivamente; auxiliar na promoção e prevenção da saúde na comunidade, em relação às parasitoses. Proporcionar aos acadêmicos o conhecimento da epidemiologia, morfologia, patogenia, sintomatologia, transmissão, ciclo biológico, diagnóstico e prevenção das principais parasitoses humanas.

Buscando-se atender esta competência alguns objetivos específicos são delineados:

- Definir os termos mais utilizados em parasitologia.

- Conceituar a relação parasito-hospedeiro.

-  Conhecer os protozoários, helmintos, platelmintos e artrópodes responsáveis pelas principais parasitoses humanas.

-  Conhecer a epidemiologia, morfologia, patogenia, sintomatologia, transmissão, ciclo biológico, diagnóstico e prevenção das principais parasitoses humanas.

 

Conteúdos Curriculares

 

UNIDADE DE ENSINO 01 – Introdução à Parasitologia

Relações parasito-hospedeiro.

Classificação de parasitos e de hospedeiros.

 

UNIDADE DE ENSINO 02 – Protozoários

Morfologia, transmissão, ciclo biológico, patogenia, sintomatologia, diagnóstico e prevenção das protozooses:

Giardia lamblia.

Entamoeba histolytica/E. díspar.

Leishmania.

Trypanosoma cruzi.

Plasmodium.

Toxoplasma gondii.

 

TDE 01 – Atividade conforme normatização envolvendo os conteúdos da Unidade 02.  

 

UNIDADE DE ENSINO 03 – Helmintos

Morfologia, transmissão, ciclo biológico, patogenia, sintomatologia, diagnóstico e prevenção das seguintes helmintíases:

Enterobius vermicularis.

Ascaris lumbricoides.

Strongyloides stercoralis.

Ancilostomídeos.

Taenia solium e Taenia saginata.

Hymenolepis nana.  

 

 

Diphyllobothrium latum.

Echinococcus granulosus.

Schistosoma mansoni.

Fasciola hepática.

 

TDE 02 – Atividade conforme normatização envolvendo os conteúdos da Unidade 03.  

 

UNIDADE DE ENSINO 04 – Artrópodos de interesse médico

Biologia, proliferação e controle: môscas, mosquitos, piolhos, pulgas, percevejos, ácaros e carrapatos.

 

TDE 03 – Atividade conforme normatização envolvendo os conteúdos da Unidade 04.  

 

Atividades práticas: Aula prática laboratório de Parasitologia, com identificação de parasitos e microscopia.

 

Metodologia

Visando desenvolver competências técnicas, cognitivas e comportamentais nos alunos, as aulas, de forma variada, terão como metodologias: tradicional (expositivo-dialogadas com contextualização e com estudos dirigidos), ativa e sócio-interacionista.  No intuito de desenvolver as competências inerentes à disciplina, serão utilizados recursos de multimídia como projetores de imagem e vídeo, computador (internet), sala de aula, laboratório para aula prática, biblioteca física e virtual (visando pesquisas individuais e em equipe). Os alunos desenvolverão Trabalhos Discentes Efetivos no total de 10h, podendo envolver pesquisas bibliográficas, resolução de problemas, produção de vídeos, estudo dirigido e outras possibilidades. A fixação dos conteúdos será por meio de estudo dirigido, apresentação de seminários, entre outras possibilidades.  

 

Avaliação

A avaliação da disciplina se propõe a verificar se as competências propostas neste plano de ensino foram desenvolvidas pelo acadêmico, e serão realizadas ao longo do semestre por meio dos seguintes instrumentos de avaliação: provas, exercícios, arguições e/ou seminários, relatórios, estudos dirigidos, trabalhos acadêmicos. Os Trabalhos Discentes Efetivos, terão peso de 20% da média parcial. As aulas com utilização de metodologia ativa (sala de aula invertida e/ou peer instruction ou outra) terão, especialmente, mas não exclusivamente, avaliação contínua, ou seja, avaliação constante do desempenho técnico, cognitivo e comportamental dos alunos para possíveis redirecionamentos metodológico/educativos.

 

Bibliografia Básica

CIMERMAN, Benjamin; CIMERMAN, Sérgio. Parasitologia humana: e seus fundamentos gerais. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2018.

NEVES, David Pereira. Parasitologia humana. 13. ed. São Paulo: Atheneu, 2016.

MORAES,  Ruy Gomes de; LEITE, Ignacio da Costa; GOULART, Enio Garcia. Moraes. Parasitologia & micologia humana. 5. ed. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 2008.

 

Bibliografia Complementar

AMATO NETO, Vicente et al. Parasitologia: uma abordagem clínica.  Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

DE CARLI, Geraldo Attilio. Parasitologia clínica: seleção de métodos e técnicas de laboratório para o diagnóstico das parasitoses humanas. São Paulo: Atheneu, 2001.

LEVENTHAL, Ruth; CHEADLE, Russell F. Parasitologia médica: texto e atlas. 4. ed. São Paulo: Premier, 2000.

REY, Luís. Parasitologia: parasitos e doenças parasitárias do homem nos trópicos ocidentais. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

TAVARES, Walter; MARINHO, Luiz Alberto Carneiro (Coord.). Rotinas de diagnóstico e tratamento de doenças infecciosas e parasitárias. 4. ed. São Paulo: Atheneu, 2015.

Fique por dentro

Ver mais