Plano de EnsinoURI Câmpus de Erechim
 

PLANO DE ENSINO

Departamento de Ciências Biológicas

Disciplina: PROJETO INTEGRADOR – INVENTÁRIO FLORESTAL

Código: 20-541

Carga Horária: 60h (Teórica: 20h) (Extensão 40 h)

Nº de Créditos: 03

Pré-requisitos: ----

 

Ementa

Conceitos básicos, classificação e importância dos Inventários Florestais. Mapeamento aplicado aos inventários florestais. Teoria da amostragem. Estatísticas do Inventário Florestal. Métodos de amostragem: área fixa e variável. Processos de amostragem: casual simples, casual estratificada, sistemática, em múltiplos estágios e mista. Censo Florestal. Inventário Florestal Contínuo. Inventário Florestal Pré-corte. Inventário em florestas nativas. Procedimentos de mensuração, processamento e análise de dados. Planejamento do inventário florestal. Uso de softwares aplicados a amostragem e cálculos de volumes.

 

Objetivos

Com o desenvolvimento da disciplina o aluno deverá ter os subsídios para planejar as questões técnicas e metodológicas atreladas ao trabalho de inventário florestal. Capacitar o aluno para a tomada de decisão técnica para adoção em inventários florestais. Capacitar o aluno para a abordagem metodológica, tecnológica e suas implicações nas estimativas dos inventários florestais. Capacitar o aluno para a condução completa de um trabalho de inventário florestal.

 

Conteúdos Curriculares

1) Introdução aos inventários florestais: importância e classificação quanto aos objetivos, abrangência, detalhamento, obtenção de dados e abordagem temporal.

2) Fundamentos do planejamento de inventários florestais: Objetivos do trabalho, características da área, aspectos técnicos, organizacionais, comerciais e financeiros.

3) Mapeamento aplicado aos inventários florestais: Fontes de informação, sensoriamento remoto, fotogrametria, sistemas de posicionamento global e sistemas de informação geográfica. A abordagem desse item do programa é o subsidio da execução do inventário florestal, como: definição dos estratos, quantificação de área, plotagem das unidades amostrais e representação de informações oriundas dos inventários florestais em mapas temáticos.

4) Métodos de amostragem: serão abordados os aspectos gerais, indicações de aplicação, notações, fórmula para a estimativa e exemplo de aplicação.

5) Processos de amostragem: Aleatória Simples, Aleatória Estratificada, Sistemática (faixa ou parcelas), Múltiplos (dois) Estágios e Mista (conglomerados e Shiue). De todos os processos serão abordados os aspectos gerais, indicações de aplicação, notações, fórmula para o parâmetro e estimativa e exemplo de aplicação.

6) Procedimentos de mensuração e compilação de dados: Principais variáveis dendrométricas levantadas no inventário florestal, equipamentos empregados em seu levantamento, coleta automática e em fichas de campo, vantagens e desvantagens na adoção dos mesmos.

 

Metodologia

Visando desenvolver competências técnicas, cognitivas e comportamentais nos alunos, as aulas, de forma variada, terão como metodologias: a tradicional (expositivo-dialogadas com estudos dirigidos), a ativa e a sócio-interacionista (professor como mediador de atividades em que os alunos trabalham em equipes e interagem com a comunidade universitária). No intuito de desenvolver procedimentos de campo importantes ao mercado de trabalho, serão utilizados recursos de multimídia como projetores de imagem e vídeo, computador, sala de aula, biblioteca física e virtual (visando pesquisas individuais e em equipe). Serão realizados o levantamento de campo e apresentação de resultados de Inventários a Sociedade com finalidade de atividades extensionstas.

 

Avaliação

O sistema de avaliação desta disciplina está de acordo com o que determina o Regimento Interno da URI, Resolução nº 2318/CUN/2017- Capítulo XI, Subseção VII, Art.85-92 “do planejamento de ensino e da avaliação da aprendizagem”. Para atender este novo modelo acadêmico prevê que os resultados acadêmicos sejam expressos em pontos acumulados de zero (0) a dez (10), sendo que 80% da nota poderão ser referentes a provas presenciais e/ou práticas, atividades e trabalhos. E 20% da nota será atribuída por meio dos Trabalhos Discentes Efetivos e avaliação das atividades de aulas com metodologias diferenciadas. Apresentação de Relatórios de Campo e Laboratório.

 

BIBLIOGRAFIA

Bibliografia Básica:

WEIRICH, Rafael. Quando as definições políticas e ecológicas não concordam: estudo de caso dos estágios sucessionais nas Florestas Atlânticas subtropicais. 2017. 62 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia) - Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Erechim, 2017.

SOUZA, Vinícius Castro; LORENZI, Harri. Chave de identificação: para as principais famílias de Angiospermas e Gimnospermas nativas e cultivadas do Brasil. 3. ed. São Paulo: Instituto Plantarum, 2014. 31 p.

SOBRAL, Marcos; JARENKOW, João André (Org.). Flora arbórea e arborescente do Rio Grande do Sul, Brasil. 2. ed. São Carlos: RiMa, 2013. 357 p.

 

Bibliografia Complementar:

LORENZI, Harri. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2011. 384 p.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: plantas para o futuro - Região Sul. Brasília: MMA, 2011. 934 p. (Biodiversidade ; 40).

CARNEIRO, Diana. Ilustração botânica: princípios e métodos. Curitiba: UFPR, 2011. 227 p.

GUREVITCH, Jessica; SCHEINER, Samuel M.; FOX, Gordon A. Ecologia vegetal. Porto Alegre: Artmed, 2009. 574 p.

RAMOS, Viviane Soares et al. Árvores da Floresta Estacional Semidecidual: guia de identificação de espécies. São Paulo: Edusp, 2008. 312 p.

 

Notícias do Curso

Ver todas