Plano de EnsinoURI Câmpus de Erechim
 

PLANO DE ENSINO

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS

Disciplina: Ética e Legislação Profissional

Código: 70-993

Carga Horária: 40h (30h Teórica + 10h Prática)

Nº de Créditos: 02

 

EMENTA

Filosofia e objetivos da ética. Código de ética profissional e sanções disciplinares. Sistema e legislação profissional. Abordagens quanto a História e Cultura Afro-Brasileira, Africana e Indígena, Direitos Humanos e Políticas de Acessibilidade.

 

OBJETIVOS

A disciplina visa trabalhar a Ética e sua relação com o sistema profissional de Engenharia com o objetivo de informar o egresso sobre sua correta atuação no mercado de trabalho. Buscando-se atender estas competências alguns objetivos específicos são delineados:

- Trabalhar as questões éticas relacionadas à profissão do Engenheiro;

- Interpretar o código de ética profissional de Engenharia;

- Conhecer e aplicar com ética a legislação profissional e atos normativos no âmbito do exercício da profissão;

- Ser capaz de compreender a legislação, a ética e a responsabilidade profissional e avaliar os impactos das atividades de engenharia na sociedade e no meio ambiente;

- Atuar eticamente sempre respeitando a legislação, zelando para que isto ocorra também no contexto em que estiver atuando.

 

CONTEÚDOS CURRICULARES

 

UNIDADE DE ENSINO 01 – ÉTICA PROFISSIONAL

Esta unidade visa trabalhar as questões relacionadas a Ética da profissão do Engenheiro trazendo as principais definições e objetivos, responsabilidades, liberdade e coação, visando trabalhar as questões éticas relacionadas à profissão do Engenheiro.

 

UNIDADE DE ENSINO 02 – CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL

Esta unidade se propõe a estudar o código de ética profissional da Engenharia, visando a sua interpretação por meio de sua aplicação

 

Atividade Prática: Aplicação do código de ética profissional simulando a tramitação de um processo junto ao conselho de Engenharia, no intuito de capacitar o acadêmico para a sua adequada interpretação.

 

UNIDADE DE ENSINO 03 SISTEMA PROFISSIONAL

Está unidade de ensino visa apresentar o sistema profissional CONFEA-CREA, destacando sua importância para a profissão de Engenharia no Brasil.

 

Atividade Prática: Edição de um vídeo com o depoimento do grupo sobre a atividade de Engenharia no Brasil e a atuação do conselho. Esta unidade de ensino visa, além das competências acima listadas, também trabalhar as questões de comunicação e tecnologias da informação.

 

UNIDADE DE ENSINO 04 – EXERCÍCIO PROFISSIONAL

Esta unidade visa informar o acadêmico sobre sua atuação profissional respeitando suas atribuições e implicações no contexto social, capacitando o acadêmico para compreender a legislação, a ética e a responsabilidade profissional e avaliar os impactos das atividades de engenharia na sociedade e no meio ambiente.

 

Atividade Prática: Elaboração de um pôster sobre suas habilitações e implicações no contexto social. Esta unidade de ensino visa, além das competências acima listadas, também trabalhar as questões de comunicação.

 

UNIDADE DE ENSINO 05 LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL

Esta unidade visa apresentar as principais legislações profissionais de Engenharia e sua interpretação, trazendo a importância da atuação correta e legal da sua profissão, buscando capacitar o acadêmico para atuar eticamente dentro da legislação que regula sua profissão.

 

Atividade Prática: Solução de um questionário relacionado aos temas trabalhados.

 

UNIDADE DE ENSINO 06 RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL

Esta unidade visa informar e alertar sobre as responsabilidades profissionais intrínsecas à atividade de Engenharia, direitos e deveres, bem como a importância da ART – Anotação de Responsabilidade Técnica, capacitando o egresso para o correto preenchimento de uma ART e a refletir sobe os impactos de sua atuação profissional na sociedade e no meio ambiente.

 

Atividade Prática: Simulação do preenchimento de uma ART para um caso de atividade profissional de Engenharia.

 

METODOLOGIA

Visando desenvolver competências apresentadas, as aulas são desenvolvidas sob a forma de EaD – Ensino à Distância, fazendo-se o uso de plataformas digitais onde o todo o conteúdo e materiais de aula são disponibilizados. No intuito de desenvolver as competências inerentes à disciplina, são usados recursos digitais vinculados à plataforma de trabalho para comunicação com alunos, exposição das aulas e a postagem das tarefas desenvolvidas, bem como as atividades de orientações de trabalhos, que serão também de forma virtual por videoconferência.

 

AVALIAÇÃO

Para esta disciplina a avaliação semestral deve considerar a média ponderada entre as notas, que serão definidas através das seguintes avaliações:

Parte da avaliação da disciplina, com peso 20%, será referente às atividades desenvolvidas nas TDEs, conforme previsto pelas regras da graduação Ativa da URI;

O restante das notas consistirá em provas e trabalhos (teóricos e/ou práticos), com assuntos específicos da disciplina.

A atribuição de notas para a avaliação do desempenho do acadêmico, segue o prescreve o Regimento Geral da Universidade, Art. 88 a 92.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ARISTÓTELES. Ética e Nicômanos. Ed. Univ. Brasília, 1985.

CONFEA-CREA. Código de ética profissional da engenharia, da agronomia, da geologia, da geografia e da meteorologia. 9.ed., Conselho Federal de engenharia e Agronomia, 2014 (1971).

CONFEA-CREA. Lei Federal N. 5194/66. Conselho Federal de engenharia e Agronomia, 1966.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BERGAMINI, C. W. Motivação nas organizações. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

BERGAMINI, C. W. Motivação nas organizações. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

CARVALHO E CASTRO, Jary. Ir e Vir – Acessibilidade: compromisso de cada um. Campo Grande: Gráfica Gibim e Editora, 2013.

CHAPPELL, T. A alma do negócio: como administrar em função dos lucros, da ética e do bem comum. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

CHAPPELL, T. A alma do negócio: como administrar em função dos lucros, da ética e do bem comum. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA (BRASIL). O código de ética começa por você, profissional. 7. ed. Brasília: CONFEA, 2011.

CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA (BRASIL). O código de ética começa por você, profissional. 7. ed. Brasília: CONFEA, 2011.

CUNHA, Luiz Antônio. Educação, Estado e democracia no Brasil. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2001. 

FRIGOTTO, Gaudêncio (Org.). Educação e crise do trabalho: perspectivas de final de século. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2005. 

MOSCOVICI, F. Desenvolvimento interpessoal: Treinamento em grupo. 19.ed., Rio de Janeiro: José Olympio, 2010.

MOSCOVICI, F. Desenvolvimento interpessoal: Treinamento em grupo. 19.ed., Rio de Janeiro: José Olympio, 2010.

SALTON, Bruna Poletto; DALL AGNOL, Anderson; TURCATTI, Alissa. Manual de acessibilidade em documentos digitais. Bento Gonçalves: IFRS, 2017.

SONZA, Andréa Poletto (Org.). Acessibilidade e tecnologia assistiva: pensando a inclusão sociodigital de PNEs. Bento Gonçalves: IFRN, 2013. 

VASCONCELLOS, M. M. M. Avaliação e ética. Londrina: Eduel, 2002.

 

 

 

Notícias do Curso

Ver todas