Plano de EnsinoURI Erechim
 

PLANO DE ENSINO

Departamento de Ciências da Saúde

Disciplina: Atenção Integral a Saúde do Adulto II

Código: 40-879

Carga Horária: 120 (Teórica: 60)  (Prática: 60)     

Créditos: 08

 

1 EMENTA

Cuidado integral ao adulto, família e comunidade. Avaliação clínica do indivíduo adulto em condições de saúde agudas e crônicas nos diferentes contextos do Sistema Único de Saúde. Processo de enfermagem e Sistematização da Assistência de Enfermagem.

 

2 OBJETIVO

Proporcionar aos educandos conhecimentos teóricos e práticos para o desenvolvimento de competências acerca da assistência integral ao adulto em condições de saúde agudas e crônicas considerando a família e a comunidade.

 

3.CONTEÚDOS CURRICULARES

Para atuar nos diversos cenários de cuidado a saúde frente às intercorrências agudas e crônicas, o enfermeiro deverá ser capaz de desenvolver raciocínio clínico, pensamento crítico e reflexivo. Para tanto, necessita de um conhecimento acerca da anatomia e fisiologia, fisiopatologia, conceito das diferentes doenças, manifestações clínicas, manejo clínico e de enfermagem, alicerçado pelo Processo de Enfermagem e pelas Teorias de Enfermagem. Frente ao contexto, os seguintes conteúdos serão trabalhados:

 

3.1 Sistema Cardiovascular

Infecção e inflamação do coração: pericardite, miocardite e endocardite

Miocardiopatias: dilatada e hipertrófica

Doença Vascular Periférica: doença arterial periférica e doença venosa

Crise hipertensiva

Insuficiência Cardíaca

3.2 Sistema Respiratório

Pneumonia

Derrame Pleural

Embolia Pulmonar

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

Asma Aguda

Insuficiência Respiratória Aguda

3.3 Sistema Renal

Insuficiência Renal: Insuficiência Renal Aguda e Doença Renal Crônica

Disfunção da Supra-renal

3.4 Sistema Nervoso

Convulsões

Síndrome de Guillain-Barré

Miastenia Gravis.

3.5 Sistema Gastrointestinal

Estomatites, gastrite, úlcera péptica, esofagite, varizes esofágicas, hemorragias digestivas, obstrução intestinal, peritonite, pancreatite, cirrose hepática, encefalopatia hepática, diarreia, vômitos e desidratação.

 

3.6 Sistema Endócrino

Disfunção da tireoide.

 

 

4 METODOLOGIA

Contextualização e problematização do conteúdo, utilizando-se das metodologias ativas de aprendizagem com o intuito de desenvolver pensamento crítico e raciocínio clinico. Estudos extraclasse, discussão de textos científicos, atividade de pesquisa, estudos de casos clínicos, atividades em grupo, atividades teórico-práticas em diversos cenários do SUS; laboratório; utilizando-se de recursos de multimídia, lúdicos, ferramentas do Google e simulações realísticas. Casos clínicos serão trabalhados na construção das etapas do Processo de Enfermagem, de acordo com Teorias de Enfermagem.

 

5 AVALIAÇÃO

O processo de avaliação será baseado em conhecimentos, habilidades, atitudes, especificidades do cenário relativo aos conteúdos curriculares desenvolvidos. Será utilizado diferentes dispositivos que possam garantir a avaliação somativa e formativa da progressão do estudante, ao longo do curso, permitindo acompanhar o desenvolvimento de competências. As atividades teórico-práticas serão avaliadas com base no desempenho das habilidades.

 

BIBLIOGRAFIA

6 BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALMEIRA, M. A. et al. Processo de enfermagem na prática clínica: estudo clínicos baseados na prática do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Porto Alegre: Artmed, 2011.

CHEEVER, K. H. Brunner e Suddarth: Tratado de Enfermagem médico-cirúrgica. 13 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2016. v. 1 e v. 2.

GROSSMAN, S.; PORTH, C. M. Porth – Fisiopatologia. 9ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2019.

 

 

7.BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ALFARO-LEFEVRE, R. Aplicação do processo de enfermagem: fundamentos para o raciocínio clínico. 8. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

JOHNSON, M. et al. Ligações NANDA - NOC - NIC: condições clínicas, suporte ao raciocínio e assistência de qualidade. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

KAWAMOTO, E. E. Anatomia e Fisiologia para enfermagem. 1 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2018.

NORTH AMERICAN NURSING. DIAGNOSIS ASSOCIATION. (Org.). Diagnósticos de enfermagem da NANDA: definições e classificação - 2009-2011. Porto Alegre: Artmed, 2010.

PORTO, Celmo Celeno. Exame clínico: Porto & Porto. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

Notícias do Curso

Ver todas