Plano de EnsinoURI Câmpus de Erechim
 

PLANO DE ENSINO

Departamento de Ciências Agrárias

Disciplina: Adubação e Corretivos A

Código: 50-418

Carga Horária: 40h (Teórica: 30h)  (Prática: 10h)

Créditos: 02

 

Ementa

Características e eficiência dos principais fertilizantes minerais. Características e eficiência dos principais corretivos do solo. Adubos e adubação orgânica.

 

Objetivos

A disciplina visa proporcionar ao estudante do Curso de Agronomia o conhecimento necessário para a sua formação a respeito de fertilizantes (químicos e orgânicos) e de corretivos do solo complementando os conhecimentos adquiridos na disciplina de Fertilidade do Solo A.

Ao término da disciplina, o estudante deverá ser capaz de atingir total ou parcialmente as seguintes competências e habilidades:

- Conhecer e identificar os principais corretivos (calcário e gesso agrícola) do solo.

- Conhecer os principais tipos de fertilizantes minerais, suas reações no solo e principais formas de aplicação.

- Conhecer os principais tipos de adubos orgânicos, suas reações e principais formas de aplicação.

- Conhecer e saber interpretar a dinâmica dos macros e micronutrientes no solo.

 

Conteúdos Curriculares

UNIDADE 1 – Dinâmica do Nitrogênio.

 

UNIDADE 2 – Dinâmica do Fósforo.

 

UNIDADE 3 – Dinâmica do Potássio.

 

UNIDADE 4 – Dinâmica dos macronutrientes secundários (cálcio, magnésio e enxofre).

 

UNIDADE 5 – Dinâmica dos principais micronutrientes.

 

UNIDADE 6 - Fertilizantes

6.1 - Fertilizantes químicos

6.2 - Fertilizantes orgânicos

6.3 - Mistura e formulação de adubos.

 

UNIDADE 7 - Principais corretivos do solo

7.1 - Calcários

7.2 - Gesso agrícola

7.3 - Aplicação e incorporação dos corretivos.

7.4 - Efeitos dos corretivos nas características do solo.

 

Metodologia

Visando desenvolver competências técnicas, cognitivas e comportamentais nos estudantes, as aulas, de forma variada, terão como metodologias: a tradicional (expositivo-dialogadas com estudos dirigidos), a ativa e a sócio-interacionista (professor como mediador de atividades em que os estudantes trabalham em equipes e interagem com a comunidade universitária). No intuito de desenvolver as competências inerentes a disciplina, serão utilizados recursos de multimídia como projetores de imagem e vídeo, computador (internet, planilhas eletrônicas, software de simulação), laboratórios de Física e Química do solo, sala de aula, biblioteca física e virtual (visando pesquisas individuais e em equipe).

Os estudantes desenvolverão Trabalhos Discentes Efetivos no total de 10h, que poderão ser, conforme a necessidade, estudos de caso, pesquisas bibliográficas, resolução de problemas, lista de exercícios, produção de vídeos, modelagem e protótipos. A fixação dos conteúdos será por meio de resolução de exercícios e problemas, provas, estudos de caso, atividades de laboratório e relatórios.

 

Avaliação

A avaliação da disciplina se propõe a verificar se as competências propostas neste plano de ensino foram desenvolvidas pelo acadêmico, por meio dos seguintes instrumentos de avaliação: provas escritas (avaliação de competências técnicas e competências cognitivas); Trabalhos Discentes Efetivos valendo 20% da média final da disciplina (avaliação de competências técnicas e competências cognitivas); relatórios de experimentos de laboratório e de outras atividades práticas (avaliação de competências técnicas, cognitivas e comportamentais), e avaliação das atividades de aulas com metodologia diferenciada (avaliação de competências técnicas, cognitivas e comportamentais).

 

BIBLIOGRAFIA

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ERNANI, Paulo Roberto. Química do solo e disponibilidade de nutrientes. 2. ed. Lages: P.R. Ernani, 2016.

RAIJ, B. V. Fertilidade do solo e manejo de nutrientes. Piracicaba: International Plant Nutrition Institute, 2011.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIÊNCIA DO SOLO - COMISSÃO DE QUÍMICA E FERTILIDADE DO SOLO - RS/SC. Manual de calagem e de adubação para os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. 11. ed. Porto Alegre, 2016.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA PESQUISA DA POTASSA E DO FOSFATO. Manual internacional de fertilidade do solo. 2. ed. Piracicaba: Potash & Phosphate Institute, 1998.

              1. MALAVOLTA, Eurípedes. Manual de química agrícola: adubos e adubação. 3. ed. São Paulo: Livroceres, 1981.

MALAVOLTA, Eurípedes. Manual de nutrição mineral de plantas. São Paulo: Agronômica Ceres, 2006.

MEURER, E. J. (Ed.). Fundamentos de química do solo. Porto Alegre: Genesis, 2004.

NOVAIS, Roberto Ferreira. et al. Fertilidade do solo. Viçosa, MG: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 2007.

 

Notícias do Curso

Ver todas