Plano de EnsinoURI Câmpus de Erechim
 

PLANO DE ENSINO

Departamento de Ciências Agrárias

Disciplina: Hidráulica e Hidrologia Agrícola A

Código: 50-417

Carga Horária: 40h (Teórica: 30h)  (Prática: 10h)

Créditos: 02

 

Ementa

Conceitos básicos sobre hidráulica agrícola - condutos forçados e livres. Obras hidráulicas para transporte e contenção de água - Canais e Barragens de terra. Legislação de recursos hídricos. Ciclo hidrológico. Bacia hidrográfica. Relação chuva-vazão. Noções de hidrometria.

 

Objetivos

A disciplina visa orientar o futuro profissional sobre seu papel como agente de intervenção na realidade agrícola do país e fornecer um horizonte sobre os conhecimentos necessários para sua formação e desenvolver as relações interpessoais de conduta e convivência social e profissional. Respeitar os princípios éticos inerentes ao exercício da profissão. Exercer a profissão de forma articulada ao contexto social, entendendo-a como uma forma de participação e contribuição social. Capacidade de análise e síntese. Habilidade de trabalho em equipe. Capacidade de interpretação e solução de problemas reais ou simulados de práticas reais.

Buscando-se atender estas competências e habilidades alguns objetivos específicos são delineados:

- apresentar aos estudantes os conceitos fundamentais sobre o escoamento de líquidos em condutos forçados e livres.

- em obras hidráulicas o estudante deverá locar e dimensionar obras de terra tais como canais, açudes e barragens.

- apresentar e discutir os processos que governam a circulação da água na natureza, bem como os métodos hidrológicos para dimensionar obras hidráulicas e gerenciar sistemas de recursos hídricos.

 

Conteúdos Curriculares

UNIDADE DE ENSINO 1 - Escoamentos em condutos livres e forçados.

UNIDADE DE ENSINO 2 - Cálculo de canais e de condutos forçados.

UNIDADE DE ENSINO 3 - Dimensionamento de canais, açudes e pequenas barragens de terra.

UNIDADE DE ENSINO 4 - Estudo do Ciclo hidrológico.

UNIDADE DE ENSINO 5 - Bacias Hidrográficas.

5.1 - Caracterização morfométrica e suas relações com a Hidrologia.

UNIDADE DE ENSINO 6 - Noções sobre manejo de bacias.

UNIDADE DE ENSINO 7 - Estudo da precipitação.

7.1 - Obtenção de dados e utilização nas aplicações de interesse ambiental e da agricultura.

UNIDADE DE ENSINO 8 - Infiltração.

UNIDADE DE ENSINO 9 - Escoamento Superficial.

9.1 - Produção de água, valores médios, mínimos e máximos da vazão.

UNIDADE DE ENSINO 10 - Uso consuntivo e não consuntivo.

UNIDADE DE ENSINO 11 - Outorga de água superficial.

 

Metodologia

Visando desenvolver competências técnicas, cognitivas e comportamentais nos estudantes, as aulas, de forma variada, terão como metodologias: a tradicional (expositivo-dialogadas com estudos dirigidos), a ativa e a sócio-interacionista (professor como mediador de atividades em que os estudantes trabalham em equipes e interagem com a comunidade universitária). No intuito de desenvolver as competências inerentes a disciplina, serão utilizados recursos de multimídia como projetores de imagem e vídeo, computador, laboratórios, sala de aula, biblioteca física e virtual (visando pesquisas individuais e em equipe). Os estudantes desenvolverão Trabalhos Discente Efetivos no total de 10h, que poderão ser, conforme a necessidade, estudos de caso, pesquisas bibliográficas, resolução de problemas, lista de exercícios, modelagem e protótipos. A fixação dos conteúdos será por meio de resolução de exercícios e problemas, estudos de caso, atividades de laboratório e relatórios.

 

Avaliação

A avaliação da disciplina se propõe a verificar se as competências propostas neste plano de ensino foram desenvolvidas pelo acadêmico, por meio dos seguintes instrumentos de avaliação: provas escritas (avaliação de competências técnicas e competências cognitivas); Trabalhos Discentes Efetivos valendo 20% da média final da disciplina (avaliação de competências técnicas e competências cognitivas); relatórios de experimentos de laboratório e de outras atividades práticas (avaliação de competências técnicas, cognitivas e comportamentais), e avaliação das atividades de aulas com metodologia diferenciada (avaliação de competências técnicas, cognitivas e comportamentais). As aulas com utilização de metodologia ativa terão, especialmente, mas não exclusivamente, avaliação contínua, ou seja, avaliação constante do desempenho técnico, cognitivo e comportamental dos estudantes para possíveis redirecionamentos metodológico/educativos.

 

BIBLIOGRAFIA

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

AZEVEDO NETTO, J. M.; et al. Manual de hidráulica. 8. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 2012.

DAKER, A. Hidráulica aplicada à agricultura: a água na agricultura. 7. ed. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1987.

TUCCI, C. E. M (Org.). Hidrologia: ciência e aplicação. 4. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2013.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BELTRAME, A. da V. Diagnóstico do meio físico de bacias hidrográficas: modelo e aplicação. Florianópolis: UFSC, 1994.

TUCCI, C. E. M (Org.). Hidrologia: ciência e aplicação. 4. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2009.

DAKER, A. Captação, elevação e melhoramento da água. 7. ed. Rio de Janeiro: F. Bastos, 1987.

LINSINGEN, I. V. Fundamentos de sistemas hidráulicos. 5. ed. Florianópolis: UFSC, 2016.

VILLELA, S. M.; MATTOS, A. Hidrologia aplicada. São Paulo: McGraw-Hill, 1975.

 

Notícias do Curso

Ver todas