Plano de EnsinoURI Câmpus de Erechim
 

PLANO DE ENSINO

Departamento de Ciências Agrárias

Disciplina: Agricultura de Precisão

Código: 30-994

Carga Horária: 40h (Teórica: 30h)  (Prática: 10h)

Créditos: 02

 

EMENTA

Introdução à Agricultura de Precisão, tecnologias envolvidas, gerenciamento da informação, geração de mapas temáticos, formas de controle, mecanização de precisão.

 

OBJETIVOS

A disciplina visa orientar o aluno para ser capaz de: entender a filosofia da Agricultura de Precisão, ser capaz identificar a viabilidade ou não de sua adoção, bem como, organizar, implantar e conduzir as técnicas envolvidas na adoção da tecnologia de agricultura de precisão. Exercer a profissão de forma articulada aos novos conhecimentos na era da tecnologia da informação. Aprimorar a capacidade de análise e síntese. Fornecer um horizonte sobre os conhecimentos necessários para sua formação. Habilidade de trabalho em equipe. Capacidade de interpretação e solução de problemas reais ou simulados de práticas reais.

Buscando-se atender estas competências e habilidades alguns objetivos específicos são delineados:

- Proporcionar ao aluno conhecimento e compreensão da atuação do Engenheiro Agrônomo, sobre a Agricultura de Precisão.

- Apresentar e proporcionar vivências ao discente com o uso de técnicas e equipamentos voltados a Agricultura de Precisão.

- Motivar o discente do Curso, estimulando-o a buscar e aplicar as novas técnicas na organização, manejo e administração de áreas agrícolas.

 

 

CONTEÚDOS CURRICULARES

UNIDADE DE ENSINO 1 - Introdução à Agricultura de Precisão.  

1.1. Conceituação.

1.2.  Preceitos para a adoção da tecnologia.

1.3. Conhecimentos envolvidos.

1.4. Organização do sistema.

 

UNIDADE DE ENSINO 2 - Gerenciamento da Informação.

2.1. Formação e organização do banco de dados geográficos.

2.2. Fatores de produção a serem levantados.

2.3. Variabilidade espacial e temporal dos fatores de produção.

2.4. Formas de levantamentos dos dados dos fatores de produção.

2.5. Fatores econômicos e sua importância

2.6. Organização dos fatores de produção para o gerenciamento através do SIG.

 

UNIDADE DE ENSINO 3 – Geração de mapas temáticos.

3.1. Mapas de aplicação.

3.2. Mapas de correlação.

3.3. Mapas de interpretação.

 

UNIDADE DE ENSINO 4 - Formas de controle.

4.1. Controle pré-processado.

4.1. Controle em tempo real.

4.2. Controle pós-processado.

 

UNIDADE DE ENSINO 5 - Mecanização de precisão

5.1. Sistemas de atuação

5.2. Sistemas de controle

5.3. Máquinas e equipamentos para aplicação em taxa variada ou localizada.

 

METODOLOGIA

Visando desenvolver competências técnicas, cognitivas e comportamentais nos alunos, as aulas, de forma variada, terão como metodologias: a tradicional (expositivo-dialogadas com estudos dirigidos), a ativa e a sócio-interacionista (professor como mediador de atividades em que os alunos trabalham em equipes e interagem com a comunidade universitária). No intuito de desenvolver as competências inerentes a disciplina, serão utilizados recursos de multimídia como projetores de imagem e vídeo, computador (internet, planilhas eletrônicas, software de simulação), laboratórios diversos, área experimental, sala de aula, biblioteca física e virtual (visando pesquisas individuais e em equipe). Os alunos desenvolverão Trabalhos Discente Efetivos no total de 10h, que poderão ser, conforme a necessidade, estudos de caso, pesquisas bibliográficas, resolução de problemas, lista de exercícios, produção de vídeos, modelagem e protótipos. A fixação dos conteúdos será por meio de resolução de exercícios e problemas, estudos de caso, atividades de laboratório e relatórios.

 

 AVALIAÇÃO

A avaliação da disciplina se propõe a verificar se as competências propostas neste plano de ensino foram desenvolvidas pelo acadêmico, por meio dos seguintes instrumentos de avaliação: provas escritas (avaliação de competências técnicas e competências cognitivas); Trabalhos Discentes Efetivos valendo 20% da nota final da disciplina; relatórios de experimentos de laboratório e de outras atividades práticas (avaliação de competências técnicas, cognitivas e comportamentais), e avaliação das atividades de aulas com metodologia diferenciada (avaliação de competências técnicas, cognitivas e comportamentais). As aulas com utilização de metodologia ativa terão, especialmente, mas não exclusivamente, avaliação contínua, ou seja, avaliação constante do desempenho técnico, cognitivo e comportamental dos alunos para possíveis redirecionamentos metodológico/educativos.

 

BIBLIOGRAFIA

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ASSAD, Eduardo Delgado; SANO, Edson Eyji (Edit.). Sistema de informações geográficas: aplicações na agricultura. 2. ed. Brasília: Embrapa, 1998. xxviii, 434 p. 

LOCH, Carlos. Monitoramento global integrado de propriedades rurais: a nível municipal, utilizando técnicas de sensoriamento remoto. Florianópolis: EdUFSC, 1990. 136 p.

NOVO, Evlyn Márcia Leão de Moraes. Sensoriamento remoto: princípios e aplicações. 2. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 2002. xvi, 308 p.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

FLORENZANO, Teresa Gallotti. Imagens de satélite para estudos ambientais. São Paulo: Oficina de Textos, 2002. Caderno de cartografia 97 p.

SILVA, Jorge Xavier da; ZAIDAN, Ricardo Tavares (Org.). Geoprocessamento e análise ambiental: aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004. 363 p. 

SILVA, Ardemirio de Barros. Sistemas de informações georreferenciadas: conceitos e fundamentos. Campinas: Unicamp, 2003. 236 p. 

TEIXEIRA, Amândio Luís de Almeida; CHRISTOFOLETTI, Antônio. Sistemas de informação geográfica: (dicionário ilustrado). São Paulo: Hucitec, 1997. 244 p.

D'AGOSTINI, Mário Pinto. Caderno de cartografia. São Paulo: Nacional, 4. v. 1999.

 

Notícias do Curso

Ver todas