Plano de EnsinoURI Câmpus de Erechim
 

PLANO DE ENSINO

Departamento de Ciências Biológicas

Disciplina: Fisiologia Vegetal Aplicada à Agronomia

Código: 20-515

Carga Horária: 40h (Teórica: 30h)  (Prática: 10h)

Créditos: 02

 

EMENTA

Estudo dos processos fisiológicos relacionados com o metabolismo, desenvolvimento e ecofisiologia das plantas superiores.

 

OBJETIVOS

A disciplina visa proporcionar ao aluno do Curso de Agronomia o conhecimento dos processos fisiológicos do metabolismo e do crescimento e desenvolvimento dos vegetais, bem como as respostas dos mesmos a fatores ambientais.

Buscando-se atender estas competências e habilidades alguns objetivos específicos são delineados:

- O aluno deverá adquirir condições de reconhecer as relações hídricas das plantas e os mecanismos internos de absorção e transporte de água e das respostas a fatores ambientais;

- Reconhecer a importância da nutrição mineral e do metabolismo do nitrogênio;

- Estabelecer a relações entre fotossíntese, fotorrespiração, respiração e fermentação;

- Estudar o crescimento e desenvolvimento ontogenético das plantas, os mecanismos de controle do desenvolvimento e a função de reguladores de crescimento.

 

CONTEÚDOS CURRICULARES

UNIDADE DE ENSINO 1 – Relações Hídricas e Minerais das Plantas:

1.1 - Propriedades e funções da água.

1.2 - Transporte de água: difusão, transporte em massa, osmose.

1.3 - Potencial hídrico: definição e componentes na célula vegetal.

1.4 - Transporte de água no sistema solo-planta-atmosfera.

1.4.1 - A absorção de água do solo.

1.4.2 - Transporte de água no xilema.

1.4.3 - Transpiração foliar: cuticular e estomática.

1.5 - Controle estomático e resposta a fatores ambientais.

1.6 - Elementos essenciais: critérios de essencialidade e funções genéticas.

1.7 - Disponibilidade de nutrientes no solo e transporte até as raízes.

1.8 - Absorção radicular e translocação à parte aérea.

1.9 - Fixação do nitrogênio atmosférico.

 

 

UNIDADE DE ENSINO 2– Metabolismo

3.1 - Fotossíntese.

3.2 - Fotorrespiração.

3.3 - Respiração e Fermentação

 

UNIDADE DE ENSINO 3 – Crescimento e Desenvolvimento.

4.1 - Crescimento: definição, crescimento vs. desenvolvimento.

4.2 - Reguladores de crescimento (hormônios) e suas funções principais.

4.3 – Fotomorfogenêse.

4.4 – Movimentos vegetais.

4.5 – Fases do desenvolvimento ontogenético das plantas.

 

METODOLOGIA

Visando desenvolver competências técnicas, cognitivas e comportamentais nos alunos, as aulas, de forma variada, terão como metodologias: a tradicional (expositivo-dialogadas com estudos dirigidos), a ativa e a sócio-interacionista (professor como mediador de atividades em que os alunos trabalham em equipes e interagem com a comunidade universitária). No intuito de desenvolver as competências inerentes a disciplina, serão utilizados recursos de multimídia como projetores de imagem e vídeo, computador (internet, planilhas eletrônicas, software de simulação), laboratórios diversos, sala de aula, biblioteca física e virtual (visando pesquisas individuais e em equipe). Os alunos desenvolverão Trabalhos Discente Efetivos no total de 20h, que poderão ser, conforme a necessidade, estudos de caso, pesquisas bibliográficas, resolução de problemas, lista de exercícios, produção de vídeos, modelagem e protótipos. A fixação dos conteúdos será por meio de resolução de exercícios e problemas, estudos de caso, atividades de laboratório e relatórios.

O Trabalho docente efetivo irá corresponder a 20% da carga horária da disciplina e compreenderá a elaboração de relatórios das aulas práticas, condução e acompanhamento de experimentos com apresentação dos resultados, produção de herbário contendo exsicatas de espécies cultivadas.

 

AVALIAÇÃO

A avaliação da disciplina se propõe a verificar se as competências propostas neste plano de ensino foram desenvolvidas pelo acadêmico, por meio dos seguintes instrumentos de avaliação: provas escritas (avaliação de competências técnicas e competências cognitivas); Trabalhos Discentes Efetivos valendo 20% da nota final da disciplina (avaliação de competências técnicas e competências cognitivas); relatórios de experimentos de laboratório e campo e de outras atividades práticas (avaliação de competências técnicas, cognitivas e comportamentais), e avaliação das atividades de aulas com metodologia diferenciada (avaliação de competências técnicas, cognitivas e comportamentais). As aulas com utilização de metodologia ativa terão, especialmente, mas não exclusivamente, avaliação contínua, ou seja, avaliação constante do desempenho técnico, cognitivo e comportamental dos alunos para possíveis redirecionamentos metodológico/educativos.

 

BIBLIOGRAFIA

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

RAVEN, D. et al. Biologia Vegetal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007. 

KERBAUY, G.B. Fisiologia Vegetal: Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 4.ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

AWAD, Marcel. Fisiologia pós-colheita de frutos. São Paulo: Nobel, 1993.

LARCHER, Walter. Ecofisiologia vegetal. São Carlos: Rima, 2000.

MAESTRI, Moacir. Fisiologia vegetal: exercícios práticos. 2.ed. Viçosa: UFV, 2000.

MARCOS FILHO, Julio. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Piracicaba, SP: Fealq, 2005.

MARENCO, R.A.; LOPES, N. F. Fisiologia vegetal: fotossíntese, respiração, relações hídricas e nutrição mineral. 3. ed. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 2009.

 

Notícias do Curso

Ver todas