Plano de EnsinoURI Câmpus de Erechim
 

PLANO DE ENSINO

Departamento de Ciências Exatas e da Terra

Disciplina: Estatística Experimental Aplicada à Agronomia

Código: 10181

Carga Horária: 40 h (Teórica: 30h)  (Prática: 10h)

Créditos: 02

 

EMENTA

Conceitos básicos de estatística. Séries estatísticas. Distribuição de frequência. Medidas de: tendência central, dispersão ou variabilidade. Fundamentos de Estatística experimental, Análise de variância, Introdução ao estudo da experimentação agrícola. Experimentos usados na agricultura. Interpretação do resultado de experimentos agrícolas.

 

OBJETIVOS

GERAL

- Oferecer subsídios teóricos para o planejamento de experimentos, análise estatística de dados experimentais e interpretação de resultados obtidos.

 

ESPECÍFICOS

- Ajustar funções, especialmente as de produção;

- Interpretar o significado e a significância dos parâmetros das funções;

- Avaliar os ajustamentos das funções;

- Analisar e interpretar dados de ensaios, nos principais delineamentos experimentais utilizados com plantas e animais; aplicando-os em função do ambiente, das instalações, do material experimental e das variáveis envolvidas nos modelos.

 

CONTEÚDOS CURRICULARES

UNIDADE DE ENSINO 1

-  A variação do acaso; Parâmetros e estimadores; Graus de liberdade; Moda, mediana e média; Amplitude, variância e medidas derivadas.

 

UNIDADE DE ENSINO 2

- Fundamentos da experimentação.

 

UNIDADE DE ENSINO 3

- Delineamento experimental inteiramente casualizado; Teste de comparações múltiplas (Tukey e Duncan) e coeficiente de variação.

 

UNIDADE DE ENSINO 4

- Delineamento experimental - blocos ao acaso; Delineamento experimental - blocos ao acaso com parcela perdida; Delineamento experimental - quadrado latino.

 

UNIDADE DE ENSINO 5

- Planejamento de experimentos e controle de qualidade.

 

UNIDADE DE ENSINO 6

- Experimentos fatoriais e bifatoriais; Experimentos com parcelas subdivididas.

 

UNIDADE DE ENSINO 7

- Experimentos com tratamentos quantitativos - análise de regressão; Transformação de dados.

METODOLOGIA

Visando desenvolver competências técnicas, cognitivas e comportamentais nos alunos, as aulas, de forma variada, terão como metodologias: a tradicional (expositivo-dialogadas com estudos dirigidos), a ativa e a sócio-interacionista (professor como mediador de atividades em que os alunos trabalham em equipes e interagem com a comunidade universitária).

No intuito de desenvolver as competências inerentes a disciplina, serão utilizados recursos de multimídia como projetores de imagem e vídeo, computador com internet, sala de aula, biblioteca física e virtual (visando pesquisas individuais e em equipe).

Os alunos desenvolverão Trabalhos Discente Efetivos no total de 10h, que poderão ser, conforme a necessidade, estudos de caso, pesquisas bibliográficas, resolução de problemas e lista de exercícios.

A fixação dos conteúdos será por meio de resolução de exercícios e problemas, estudos de caso, atividades em estufa, horta e relatórios.

 

AVALIAÇÃO

A avaliação da disciplina se propõe a verificar se as competências propostas neste plano de ensino foram desenvolvidas pelo acadêmico, por meio dos seguintes instrumentos de avaliação: provas escritas (avaliação de competências técnicas e competências cognitivas); Trabalhos Discentes Efetivos valendo 25% da nota média parcial (avaliação de competências técnicas e competências cognitivas); relatórios de análise estatística de dados  de experimentos agrícolas (avaliação de competências técnicas, cognitivas e comportamentais), e avaliação das atividades de aulas com metodologia diferenciada (avaliação de competências técnicas, cognitivas e comportamentais).

As aulas com utilização de metodologia ativa terão, especialmente, mas não exclusivamente, avaliação contínua, ou seja, avaliação constante do desempenho técnico, cognitivo e comportamental dos alunos para possíveis redirecionamentos metodológico/educativos.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CALLEGARI-JACQUES, Sidia M. Bioestatística: princípios e aplicações. Porto Alegre: Artmed, 2008. 255 p.

COSTA, Sérgio F.; SANTO, Maria Paula (Ilust.). Introdução ilustrada à estatística. 3. ed. São Paulo: Harbra, 1998. 313 p.

ARANGO, Héctor Gustavo. Bioestatística: teórica e computacional. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001. 235 p.

VIEIRA, S. Estatística experimental.  2 ed.  São Paulo: Atlas, 1999. 185p.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BARROS NETO, Benício de; SCARMINIO, Ieda Spacino; BRUNS, Roy Edward. Como fazer experimentos: pesquisa e desenvolvimento na ciência e na indústria. 2. ed. Campinas: Unicamp, 2002. 401 p.

MONTGOMERY, D. C. Design and analysis of experiments. 3 ed. New York: John Wiley, 1991. 649p.

GOMES, Frederico Pimentel. Curso de estatística experimental. 14. ed. Piracicaba: F. Pimentel Gomes, Edusp, 2000. 477 p.

RODRIGUES, Maria Isabel; IEMMA, Antonio Francisco. Planejamento de experimentos e otimização de processos: uma estratégia sequencial de planejamento. São Paulo: Casa do Pão, 2005. 326 p.

VIEIRA, S. Estatística experimental. 2 ed. São Paulo: Atlas, 1999. 185p.

 

Notícias do Curso

Ver todas