Plano de EnsinoURI Erechim
 

PLANO DE ENSINO

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

Disciplina: Internato em Saúde Coletiva e Saúde Mental

Código: 40-646

Carga Horária: 495 horas Teórica: 99 Prática: 396

Número de Créditos: 33

 

1 EMENTA

Ações de prevenção, diagnóstico precoce, tratamento e recuperação dos agravos mais prevalentes à saúde do indivíduo, família e comunidade. Abordagem psiquiátrica das situações mais frequentemente encontradas. Psicologia médica em psiquiatria.

 

2 OBJETIVOS

2.1 Objetivos Gerais

  • Oportunizar práticas de gerenciamento, relacionamento interdisciplinar e atendimento no âmbito da Saúde Comunitária e seus programas oficiais do Ministério de Saúde.
  • Oportunizar a inserção, integração e participação no planejamento e avaliação da atenção à saúde municipal, em convivência diária com a comunidade local, estabelecendo vínculos imprescindíveis para melhorar a assistência à saúde.
  • Oportunizar a apreensão da realidade social, política, cultural, epidemiológica e a correlação destas com o processo saúde-doença, promovendo conhecimento, visão crítica e transformadora em saúde mental e coletiva.
  • Oportunizar a abordagem psiquiátrica, em diferentes fases do desenvolvimento humano e a utilização dos conhecimentos de psicologia médica no atendimento de pacientes psiquiátricos.

 

2.2 Objetivos Específicos

  • Participar de forma integrada das atividades desenvolvidas no sistema de saúde municipal.
  • Aprimorar sua competência em educação permanente, reforçando a autoaprendizagem e aprendizagem em grupo.
  • Participar efetivamente das atividades de educação permanente da equipe de saúde.
  • Atuar ativamente no sistema de referência e contra referência, como consulente formal efetivamente integrado ao sistema.
  • Realizar diagnóstico de saúde da população adstrita.
  • Propor intervenções de caráter preventivo, curativo e promocionais que respondam às necessidades de saúde da população adstrita.
  • Participar efetivamente na implantação dessas intervenções e das que se encontram em andamento.
  • Desenvolver a capacidade de análise e crítica do trabalho da equipe, participando da busca de soluções para os problemas identificados.
  • Desenvolver a capacidade de atuação médica humanizada e seus aspectos científicos, éticos e sociais.
  • Priorizar a prática médica centrada na pessoa, na relação médico-paciente, com foco na família e orientada para comunidade, privilegiando o vínculo, a continuidade e a integralidade do cuidado na atenção à saúde.
  • Ter sensibilidade e responsabilidade para com o paciente, em seu contexto social e cultural, reconhecendo suas limitações e potencialidades.
  • Saber envolver o paciente na busca de soluções para os agravos à saúde, estimulando a resiliência, a participação e a autonomia dos indivíduos, das famílias e da comunidade.
  • Identificar os principais fatores de risco de suicídio.
  • Atuar de modo a reduzir as repercussões do estigma ou preconceito em relação aos pacientes acometidos por transtornos mentais.
  • Avaliar das funções psíquicas e identificar alterações, compreendendo o estado psicológico e as reações mais comuns no processo de adoecimento.
  • Deter conhecimento sobre as prioridades, indicações, contraindicações, efeitos colaterais e interações de medicamentos e psicofármacos, de uso mais frequentes na atenção primária.
  • Encaminhar os pacientes para outros serviços e/ou profissionais, conforme a identificação das necessidades: psiquiatra, psicólogo, assistente social, terapeuta ocupacional, entre outros.

 

3 PROGRAMA

Distribuição dos estágios:

O estágio terá a duração de 90 dias. O rodizio dos alunos será a cada 30 dias, onde ele optará pela realização em três Unidades Básicas de Saúde.

 

Atividades a serem desenvolvidas:

a) Clínica Assistencial dirigida a grupos prioritários: crianças, adolescentes, adultos, mulheres e idosos.

b) Acompanhamento de Atividades de Saúde Pública, com ações em gestão, monitoramento e acompanhamento de prioridades em saúde.

 

4 Conteúdo do Programa Teórico

1. Saúde da Criança e do Adolescente

Avaliação de desenvolvimento e puericultura

Manejo de doenças comuns na infância e adolescência

Abordagem da violência, abusos, uso de drogas e sexualidade

2. Saúde da Mulher

Atenção pré-natal em atenção primária

Climatério e menopausa

Anticoncepção

3. Saúde do Adulto e do Idoso

Manejo da HAS em atenção primária

Tratamento e prevenção das complicações do Diabetes Mellitus

Abordagem da saúde do homem

Atenção ao HIV/AIDS em atenção primária

Uso de protocolos clínicos e MBE: manejo da criança e do adulto com Dengue

Dor crônica e dor musculoesquelética

Cefaleias

Saúde Mental - diagnóstico, manejo e encaminhamento de problemas comuns: depressão; transtornos de ansiedade; dependência química.

Manejo farmacológico dos psicofármacos mais utilizados em Atenção Primária.

4. Medicina de Família

Ferramentas da medicina de família - Genograma e conferência familiar.

Ciclos de vida individuais e familiares - Prevendo pontos de transição e crises familiares.

Relação médico-paciente-família.

5. Atendimento humanizado, contextualizado e ético

 

5 METODOLOGIA

Aulas teóricas expositivas dialogadas, com abordagem de temas relevantes em saúde coletiva e saúde mental, com a utilização de mídia digital. Aulas práticas em subgrupos, desenvolvidas na rede de saúde pública municipal hospitalar e ambulatorial (UBS, CAPS AD, CAPS II, Ambulatório de Saúde Mental, Centro de Referência em Saúde do Trabalhador, entre outros). Os alunos são divididos em grupos e distribuídos nas atividades de assistência, visita domiciliar, condução, organização e integração de grupos de atendimento e trabalho e gerenciamento de práticas comunitárias.

 

6 AVALIAÇÃO

As avaliações têm caráter formativo, somativo e diagnóstico. A avaliação formativa, decorre da observação diária do desempenho dos alunos nas atividades práticas assistenciais e educaionais e feedback dos atendimentos/encaminhamentos realizados. A avaliação somativa ocorre por meio de avaliações teóricas e/ou práticas. A avaliação diagnóstica embasa-se na demonstração da aquisição das competências, habilidades e atitudes inerentes aos objetivos do internato.

 

7 BIBLIOGRAFIA BÁSICA

LUNA, Rafael Leite; SABRA, Aderbal. Medicina de Família – Saúde do Adulto e do Idoso. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

MIGUEL, Eurípedes Constantino; GENTIL, Valentim; GATTAZ, Wagner Farid. Clínica Psiquiátrica. 1ª ed. São Paulo: Manole, 2011.

SARTORI, Marair Gracio Ferreira; SUE YAZAKI, Sun. Saúde da Mulher – Bases da Medicina Integrada.  1ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

 

8 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BARSANO, Paulo Robert; BARBOSA, Rildo Pereira; GONÇALVES, Emanoela. Saúde da Criança e do Adolescente. São Paulo: Editora Érica, 2014.

BRAGA, Cristina; GALLEGUILLOS, Tatiana Gabriela Brassea. Saúde do Adulto e do Idoso. São Paulo: Editora Érica, 2014.

LEMOS, A. Ivan de. Dor Crônica – Diagnóstico, Investigação e Tratamento. 1ª ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2007.

Moreira Costa. Saúde da Mulher - Na Diversidade do Cuidado na Atenção Básica. São Paulo:

SILVA, Raimunda Magalhâes da; VIEIRA, Luiza Jane Eyre de Souza; COLLARES, Patrícia THORNICROFT, Graham; TANSELLA, Michele. Boas Práticas em Saúde Mental Comunitária. São Paulo: Manole, 2009.

 

 

Notícias do Curso

Ver todas