Plano de EnsinoURI Erechim
 

PLANO DE ENSINO

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

Disciplina: Pediatria Preventiva, Social e Clínica

Código: 40-641

Carga Horária: 150 horas Teórica: 60 Prática: 90

Número de Créditos: 10

 

1 EMENTA

Crescimento. Aleitamento Materno. Alimentação na Infância. Ambiente Saudável. Imunização. Afecções Respiratórias na Pediatria. Desenvolvimento. A criança na Creche. A criança na Escola. Distúrbios nutricionais. O cuidado do recém-nascido. A criança nas diferentes culturas.

 

2 OBJETIVOS

2.1 Objetivos Gerais

  • Oportunizar a realização de consultas médicas completas, com vistas ao aperfeiçoamento de habilidades para o exercício da clínica pediátrica.
  • Promover a educação permanente e o uso de ferramentas tecnológicas que propiciem a fundamentação da prática médica baseada em evidências científicas.

 

2.2 Objetivos Específicos

Espera-se que esta unidade curricular contribua para a aquisição das seguintes competências, habilidades e atitudes:

  • Compreender princípios e valores que orientam a relação do médico com pacientes, alunos, colegas e pessoas vulneráveis.
  • Relacionar-se e comunicar-se adequadamente com o paciente, demonstrando atenção e respeito, bem como com seus familiares e acompanhantes.
  • Respeitar a autonomia do paciente e/ou responsável como ser biopsicossocial, considerar seu bem-estar e confidencialidade de suas informações clínicas.
  • Realizar a entrevista médica e reconhecer a importância de uma história clínica e suas diversas etapas.
  • Preparar o paciente e preparar-se para a realização do exame físico, demonstrando conhecimento técnico e científico sobre a sequência do mesmo.
  • Explicar, de modo compreensível e com linguagem acessível ao paciente e/ou seus acompanhantes, os procedimentos a serem realizados.
  • Realizar o exame físico, medir corretamente os dados biométricos e vitais do paciente e registrá-los adequadamente no prontuário médico.
  • Reconhecer a importância dos dados biométricos e vitais no processo saúde/doença.
  • Construir a história clínica com o paciente e/ou responsáveis, com base na anamnese completa (contexto clínico, psíquico, social e cultural) e realização de exame físico focado nestes contextos, conforme o ciclo de vida que se encontra.
  • Elaborar lista de problemas, correlacionar os achados da anamnese e do exame físico com vistas a elaboração de hipótese diagnóstica abrangente (clínica-cirúrgica, etiológica, fisiopatológica, epidemiológica e social).
  • Indicar de modo racional a solicitação de exames complementares e interpretá-los, de acordo com a faixa etária e a situação clínica.
  • Promover e orientar o aleitamento materno, hábitos de higiene e prevenção de acidentes.
  • Avaliar o crescimento e o desenvolvimento da criança e do adolescente e orientar a abordagem em cada faixa etária.
  • Conhecer a caderneta da criança e utilizá-la como instrumento de promoção da saúde.
  • Aplicar ações de promoção da saúde e prevenção de doenças e agravos à saúde em crianças e adolescentes, no contexto ampliado de saúde ampliado.
  • Propor conduta médica conjuntamente com professores/tutores, com base na identificação dos problemas e no raciocínio clínico elaborado.
  • Construir explicações fisiopatológicas para as alterações encontradas na avaliação clínica, relacionando-as aos achados propedêuticos/semiológicos.
  • Reconhecer os princípios do raciocínio clínico, os principais sistemas fisiológicos envolvidos e as limitações clínicas e terapêuticas.
  • Compreender as estratégias de diagnóstico, conduta e prognóstico das principais doenças que acometem o ser humano, considerando-se a prevalência, potencial mórbido e efetividade da ação médica, bem como seus aspectos clínicos e terapêuticos.
  • Compreender a abordagem das principais situações de urgência e emergência em pediatria, bem como seus limites clínico-terapêuticos.
  • Demonstrar autonomia no manejo das informações coletadas, habilidade para preencher os registros médicos e encaminhamento de notificações de doenças compulsórias (prontuários, formulários de pedidos de exames, encaminhamentos, notificações) demonstrando competência comunicativa escrita e oral.
  • Demonstrar postura crítica, reflexiva e senso de responsabilidade profissional e social, reconhecendo a importância das ações socioeducativas e políticas.
  • Conhecer a legislação e demonstrar compromisso com as responsabilidades profissionais.
  • Relacionar-se adequadamente com a equipe de trabalho, constituída pelos professores, tutores, grupo de alunos, setor administrativo, alunos e profissionais de outras áreas, bem como com os profissionais da rede de saúde que participem direta ou indiretamente da simulação ou do atendimento ao paciente.
  • Demostrar postura acadêmica, compreensão de seu papel como estudante do curso de Medicina e de liderança nos diversos ambientes de formação (laboratórios de habilidades/simulações, ambulatórios e enfermarias), adotando as normas de biossegurança, princípios morais, éticos e legais inerentes ao procedimento e ambiente em que se encontra.
  • Socializar, de modo organizado e fundamentado, casos clínicos reais ou simulados, com vistas ao desenvolvimento da argumentação, discussões e análise de opiniões, inclusive de alunos e profissionais de outras áreas.

 

3 CONTEÚDO CURRICULAR

 A Puericultura e a visão global da criança

 Atenção básica à saúde da criança

 Avaliação do estado nutricional

 Crescimento intrauterino e peso ao nascer

 Baixa estatura: variantes normais

 Obesidade

 Icterícia neonatal

 Alimentação do RN a termo

 Asfixia neonatal

 Infecção Congênita

 Hipoglicemia, hipocalcemia e hipomagnesemia

 Infecções de vias aéreas superiores (IVAS)

 Infecções de vias aéreas inferiores

 Doenças exantemáticas

 Desidratação

 Terapia da reidratação oral

 Diarreia aguda

 Constipação intestinal

 Parasitoses intestinais

 Anemia carencial

 Anemia no período neonatal

 Alergias respiratórias

 Aleitamento materno

 Genitália ambígua

 Infecção Urinária26. Diabete

 Adolescência

 Intoxicações Exógenas29. Picada de animais peçonhentos

 Atendimento humanizado, contextualizado e ético

 

4 METODOLOGIA

Aulas teóricas expositivas dialogadas com a utilização de mídia digital. Aulas práticas em subgrupos, desenvolvidas no centro de simulações e habilidades da URI, no contexto ambulatorial e hospitalar. Os alunos são oportunizados à realização da anamnese e exames físicos, simulados e/ou reais, acompanhados e supervisionados por docentes e/ou tutores da URI. A simulação pode se desenvolver por meio de atores e/ou simulação realística, nos quais, os alunos são os executores dos procedimentos. A anamnese e exame físico real (consulta médica completa) são realizadas pelos próprios acadêmicos, em âmbito ambulatorial e hospitalar, supervisionados por docentes e/ou tutores da URI. Os profissionais médicos (docentes/tutores da URI) são os responsáveis pela conduta médica, bem como pela orientação nas discussões dos casos, condução do raciocínio clínico, da propedêutica e terapêutica; e, referência e contra referência dos pacientes. Ainda, orientações quanto ao estudo teórico, com vistas a ampliação do conhecimentos, educação continuada e diagnósticos diferenciais. Estudos de caso, discussões em grupo e seminários são estratégias metodológicas priorizadas nesta unidade curricular.

 

5 AVALIAÇÃO

A observação do desempenho dos alunos ocorre de modo contínuo, no decorrer do semestre letivo e nos diferentes cenários de práticas, de modo individual e/ou em grupo. As avaliações têm caráter formativo, somativo e diagnóstico. A avaliação formativa objetiva identificar avanços e limitações dos alunos, orientando-os aos ajustes necessários durante o semestre. A avaliação somativa, ocorre por meio de avaliações teóricas e no ambiente das atividades práticas (simuladas e/ou reais) e a avaliação diagnóstica embasa-se na demonstração da aquisição das competências, habilidades e atitudes inerentes aos objetivos da disciplina.

 

6 BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CAMPOS JÚNIOR, Dioclécio.; BURNS, Dennis Alexandre Rabelo.; LOPEZ, Fábio Ancona. Tratado de Pediatria. Sociedade Brasileira de Pediatria. 2 vols. 3ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

KLIEGMAN, Robert M.; STANTON, Bonita F.; GEME, Joseph St. SCHOR, Nina. Nelson. Tratado de Pediatria. 2 vols. 19ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

MARCONDES, Eduardo. Pediatria Básica. Tomo I – Pediatria Geral e Neonatal; Tomo II – Pediatria Clínica Geral e Tomo III – Pediatria Especializada.  São Paulo: Sarvier, 2002.

 

7 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

FERNANDES, Tadeu Fernando. Pediatria Ambulatorial da Teoria à Prática. Rio de Janeiro: Atheneu, 2016.

FONSECA LIMA, Eduardo Jorge da; SOUZA, Márcio Fernando Tavares de; BRITO, Rita de Cássia Coelho Moraes de. Pediatria Ambulatorial – IMIP. Rio de Janeiro: MedBook, 2017.

LEÃO, Ennio. Pediatria Ambulatorial. 5ª ed. Belo Horizonte: Coopmed Editora Médica, 2013.

PESSOA, José Hugo de Lins. Puericultura - Conquista da Saúde da Criança e do Adolescente. Rio de Janeiro: Atheneu, 2013.

SUCUPIRA, Ana Cecília Silveira Lins; KOBINGER, Maria Elisabeth Benfatti Arruda; SAITO, Maria Ignez; BOURROUL, Maria Lúcia de Moraes; ZUCCOLOTTO, Sandra Maria Callioli. Pediatria em Consultório. 5ª ed. São Paulo: Sarvier, 2000.

 

 

Notícias do Curso

Ver todas