Plano de EnsinoURI Erechim
 

PLANO DE ENSINO

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

Disciplina: Propedêutica Clínica II

Código: 40-623

Carga Horária: 60 horas Teórica: 30 Prática: 30

Número de Créditos: 04

Pré-requisitos: 40-616

 

1 EMENTA

Anamnese e exame físico dos sistemas cardiovascular, respiratório, urogenital e dermatológico.

 

2 OBJETIVOS

2.1 Objetivos Gerais

  • Oportunizar a aprendizagem da realização da anamnese e exame físico dos sistemas orgânicos, de modo que o acadêmico adquira autonomia à realização da avaliação clínica.
  • Estruturar uma consulta médica completa, organizando e registrando de modo racional, a anamnese e exame físico.
  • Promover a educação permanente e o uso de ferramentas tecnológicas que propiciem a fundamentação da prática médica baseada em evidências científicas.

 

2.2 Objetivos Específicos

  • Realizar a entrevista médica e reconhecer a importância de uma história clínica e suas diversas etapas.
  • Realizar o exame físico, a coleta de dados biométricos e vitais do paciente e registrá-los adequadamente no prontuário médico.
  • Relacionar-se e comunicar-se adequadamente com o paciente, demonstrando atenção e respeito, bem como com seus familiares e acompanhantes.
  • Respeitar a autonomia do paciente como ser biopsicossocial, considerar seu bem-estar e confidencialidade de suas informações clínicas.
  • Construir a história clínica do paciente, com base na anamnese completa (contexto clínico, psíquico, social e cultural) e descrição do exame físico focado nestes contextos, conforme o ciclo de vida que se encontra.
  • Elaborar a conduta médica em conjunto com professores/tutores, com base na identificação dos problemas e no raciocínio clínico elaborado.
  • Socializar, de modo organizado e fundamentado, casos clínicos reais ou simulados, com vistas ao desenvolvimento da argumentação, discussões e análise de opiniões, inclusive de profissionais e acadêmicos de áreas afins.
  • Preencher os registros médicos (prontuários, formulários de pedidos de exames e encaminhamentos) demonstrando competência comunicativa escrita e quando for o caso, oral.
  • Relacionar-se adequadamente com a equipe de trabalho, constituída pelos professores, tutores, alunos, setor administrativo, acadêmicos e profissionais de outras áreas, bem como com os profissionais da rede de saúde, que participem direta ou indiretamente da simulação ou do atendimento ao paciente.
  • Demonstrar postura acadêmica adequada nos diversos ambientes de formação (laboratórios de habilidades/simulações, ambulatórios e enfermarias), adotando normas de biossegurança, princípios morais, éticos e legais inerentes ao procedimento e ambiente em que se encontra.
  • Demonstrar autonomia no manejo das informações coletadas e habilidade para a seleção de textos/artigos pertinentes ao estudo.

 

3 CONTEÚDO CURRICULAR

Relacionamento médico-paciente.

Ética médica.

Prontuário médico: como registrar as informações.

Semiologia cardiovascular.

Síndrome de dor no peito.

Síndrome da insuficiência cardíaca.

Síndrome arterial obstrutiva periférica.

Semiologia do sistema respiratório.

Síndrome de insuficiência respiratória.

Semiologia do sistema urinário.

Síndrome de insuficiência renal.

Síndromes hipoalbumine^micas: síndrome nefro´tica e nefrítica.

Semiologia dermatológica.

Atendimento humanizado, contextualizado e ético.

 

4 METODOLOGIA

Aulas teóricas expositivas dialogadas com a utilização de mídia digital. Aulas práticas em subgrupos, desenvolvidas no centro de simulações e habilidades da URI, no contexto ambulatorial e hospitalar (enfermarias). Os alunos são oportunizados à realização da anamnese e exames físicos, simulados e/ou reais, acompanhados e supervisionados por docentes e/ou tutores da URI. A simulação pode se desenvolver por meio de atores e/ou simulação realística, nos quais, os alunos são os executores dos procedimentos. A anamnese e exame físico real ocorre em âmbito ambulatorial e hospitalar (enfermarias), mediante acompanhamento de consultas realizadas pelos profissionais médicos (docentes/tutores) e/ou pelos próprios acadêmicos. Em ambos os casos, os médicos são os responsáveis pela conduta médica, bem como pela orientação nas discussões dos casos, condução do raciocínio clínico, da propedêutica e terapêutica; e, referência e contra referência dos pacientes. Ainda, orientações quanto ao estudo teórico, com vistas a ampliação do conhecimentos, educação continuada e diagnósticos diferenciais. Estudos de caso, discussões em grupo e seminários são estratégias metodológicas priorizadas nesta unidade curricular.

 

5 AVALIAÇÃO

A observação do desempenho dos alunos ocorre de modo contínuo, no decorrer do semestre letivo e nos diferentes cenários de práticas, de modo individual e/ou em grupo. As avaliações têm caráter formativo, somativo e diagnóstico. A avaliação formativa objetiva identificar avanços e limitações dos alunos, orientando-os aos ajustes necessários durante o semestre. A avaliação somativa, ocorre por meio de avaliações teóricas e no ambiente das atividades práticas (simuladas e/ou reais) e a avaliação diagnóstica embasa-se na demonstração da aquisição das competências, habilidades e atitudes inerentes aos objetivos da disciplina.

 

6 BIBLIOGRAFIA BÁSICA

HEBERT, Sizínio et al. Ortopedia e traumatologia: princípios e prática. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009, 2003.

LEITE, Nelson Mattili.; FALOPPA, Flávio. Propedêutica ortopédica e traumatológica. Porto Alegre: Artmed, 2013.

MARTINS, Herlon Saraiva; CALVACANTI, Euclides F. de A. Clínica Médica: dos Sinais e Sintomas ao Diagnóstico e Tratamento. São Paulo: Manole, 2007.

 

7 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ALBERSTONE, Cary. D. BENZEL, Edward C.; NAJM, Imad M.; STEINMETZ, Michael P. Bases anatômicas do diagnóstico neurológico. São Paulo: Artmed, 2011.

BICKLEY, Lynn S; SZILAGYI, Peter G. Bates, propedêutica médica essencial: avaliação clínica, anamnese, exame físico. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

GARDNER, David G.; SHOBACK, Dolores. Endocrinologia Básica e Clínica de Greenspan (Lange). 9ª ed. Porto Alegre: Editora AMGH, 2013.

HOFFBRAND, A. V.; MOSS, P. A. H. Fundamentos em Hematologia. 6ª. ed. Porto Alegre: Artmed, 2013.

PORTO, Celmo Celeno. Semiologia médica. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012, 2009, 2001, 1997.

 

 

Notícias do Curso

Ver todas