Plano de EnsinoURI Erechim
 

PLANO DE ENSINO

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

Disciplina: Propedêutica Clínica da Criança e do Adolescente

Código: 40-622

Carga Horária: 30 horas Teórica: 15 Prática: 15

Número de Créditos: 02

Pré-requisitos: 40-616

 

1 EMENTA

Anamnese e exame físico geral. Anamnese e exame físico dos sistemas, nas diferentes etapas do desenvolvimento da criança e do adolescente.

 

2 OBJETIVOS

2.1 Objetivos Gerais

  • Oportunizar a aprendizagem da realização da anamnese e exame físico da criança e do adolescente, de modo que o acadêmico adquira autonomia à realização da avaliação clínica.
  • Estruturar uma consulta médica completa, organizando e registrando de modo racional, a anamnese e exame físico.
  • Promover a educação permanente e o uso de ferramentas tecnológicas que propiciem a fundamentação da prática médica baseada em evidências científicas.

 

2.2 Objetivos Específicos

Espera-se que esta unidade curricular contribua para a aquisição das seguintes competências, habilidades e atitudes:

  • Realizar a entrevista médica e reconhecer a importância de uma história clínica e suas diversas etapas.
  • Realizar o exame físico, a coleta de dados biométricos e vitais do paciente e registrá-los adequadamente no prontuário médico.
  • Relacionar-se e comunicar-se adequadamente com o paciente e/ou responsável, demonstrando atenção e respeito, bem como com seus familiares e acompanhantes.
  • Respeitar a autonomia do paciente e/ou responsável como ser biopsicossocial, considerar seu bem-estar e confidencialidade de suas informações clínicas.
  • Construir a história clínica do paciente, com base na anamnese completa (contexto clínico, psíquico, social e cultural) e descrição do exame físico focado nestes contextos, conforme o ciclo de vida que se encontra.
  • Elaborar conduta médica conjuntamente com os professores/tutores, com base na identificação dos problemas e no raciocínio clínico elaborado.
  • Socializar, de modo organizado e fundamentado, casos clínicos reais ou simulados, com vistas ao desenvolvimento da argumentação, discussões e análise de opiniões, inclusive de profissionais e acadêmicos de áreas afins.
  • Preencher os registros médicos (prontuários, formulários de pedidos de exames e encaminhamentos) demonstrando competência comunicativa escrita e oral.
  • Relacionar-se adequadamente com a equipe de trabalho, constituída pelos professores, tutores, alunos, setor administrativo, acadêmicos e profissionais de outras áreas, bem como com os profissionais da rede de saúde, que participem direta ou indiretamente da simulação ou do atendimento ao paciente e seus responsáveis.
  • Demonstrar postura acadêmica adequada nos diversos ambientes de formação (laboratórios de habilidades/simulações, ambulatórios e enfermarias), adotando normas de biossegurança, princípios morais, éticos e legais inerentes ao procedimento e ambiente em que se encontra.
  • Demonstrar autonomia no manejo das informações coletadas e habilidade para a seleção de textos/artigos pertinentes ao estudo.

 

3 CONTEÚDO CURRICULAR

Relacionamento médico-paciente

Ética médica, atendimento humanizado e interdisciplinar

Prontuário médico: como registrar as informações

Anamnese e exame físico geral do recém-nascido

Anamnese e exame físico geral da criança e adolescente

Propedêutica do sistema cardiovascular

Propedêutica do sistema respiratório

Propedêutica do sistema gastrointestinal

Propedêutica do sistema osteomuscular

Propedêutica do sistema gênito-urinário

Propedêutica do sistema nervoso

 

4 METODOLOGIA

Aulas teóricas expositivas dialogadas com a utilização de mídia digital. Aulas práticas em subgrupos, desenvolvidas no centro de simulações e habilidades da URI, no contexto ambulatorial e hospitalar. Os alunos são oportunizados à realização da anamnese e exames físicos, simulados e/ou reais, acompanhados e supervisionados por profissionais médicos (docentes e/ou tutores da URI). A simulação pode se desenvolver por meio de atores e/ou simulação realística. A anamnese e exame físico real ocorre em âmbito ambulatorial e hospitalar, sendo os médicos os responsáveis pela conduta médica, bem como pela discussão dos casos, orientação de raciocínio clínico, propedêutica e terapêutica; e, referência e contra referência dos pacientes. Ainda, orientações quanto ao estudo teórico, com vistas a ampliação do conhecimentos, educação continuada e diagnósticos diferenciais. Estudos de caso, discussões em grupo e seminários são estratégias metodológicas priorizadas nesta unidade curricular.

 

5 AVALIAÇÃO

A observação do desempenho dos alunos ocorre de modo contínuo, no decorrer do semestre letivo e nos diferentes cenários de práticas, de modo individual e/ou em grupo. As avaliações têm caráter formativo, somativo e diagnóstico. A avaliação formativa objetiva identificar avanços e limitações dos alunos, orientando-os aos ajustes necessários durante o semestre. A avaliação somativa, ocorre por meio de avaliações teóricas e no ambiente das atividades práticas (simuladas e/ou reais) e a avaliação diagnóstica embasa-se na demonstração da aquisição das competências, habilidades e atitudes inerentes aos objetivos da disciplina.

 

6 BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FOGAÇA, Hamilton Rosendo. Semiologia Pediátrica – Liped – Liga Interdisciplinar de Pediatria. Rio de Janeiro: Revinter, 2016.

PUCCINI, Rosana Fiorini. Semiologia da Criança e do Adolescente. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

RODRIGUES, Yvon Toledo; RODRIGUES, Pedro Paulo Bastos. Semiologia pediátrica. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012, 2003.

 

7 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

MARCONDES, Eduardo et al. Pediatria básica. 9. ed. São Paulo: Sarvier, 2010.

MARTINS, Maria Aparecida; VIANA, Maria Regina de Almeida; VASCONCELOS, Marcos Carvalho de.; FERREIRA, Roberto Assis. Semiologia da criança e do adolescente. Rio de Janeiro: Editora Medbook, 2010.

PICON, Paula Xavier; MAROSTICA, Paulo J. C.; BARROS, Elvino. Pediatria - Consulta rápida. São Paulo: Artmed, 2010.

SANTANA, João Carlos; KIPPER, Délio José; FIORE, Renata Wagner. Semiologia pediátrica. Porto Alegre: Artmed, 2003.

SUCUPIRA, A. C. S. L. et al. Pediatria em consultório. São Paulo: Sarvier, 2010.

 

 

Notícias do Curso

Ver todas