Plano de EnsinoURI Erechim
 

PLANO DE ENSINO

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

Disciplina: Imersão SUS – Saúde da Família/Gestão I

Código: 40-615

Carga Horária: 90 horas Teórica: --- Prática: 90

Número de Créditos: 06

 

1 EMENTA

Atributos, competências e planificação da Atenção Primária à Saúde. Hierarquização do SUS. Redes de Atenção à Saúde e suas abrangências. Referência e contra referência médica. Fluxos de encaminhamentos para média e alta complexidade. Alocação de Recursos Interfederativos. Estrutura Orçamentária. Leis Orçamentárias. Comissões intergestoras. Sistemas de Informação em Saúde. Fundo Municipal da Saúde/Fluxogramas descritores. Indicadores em Saúde. Atribuições do Profissional Médico na Gestão da APS.

 

2 OBJETIVOS

2.1 Objetivos Gerais

  • Oportunizar aos acadêmicos a compreensão da gestão na atenção primária à saúde.
  • Proporcionar vivências na rede de atenção à saúde/gestão, com vistas a observação, problematização, teorização, análise e avaliação das situações de saúde, com enfoque na gestão.
  • Facilitar o processo de aquisição de conhecimentos, competências, habilidades, atitudes e valores dos acadêmicos por meio de vivências na saúde coletiva/gestão e relação com os conteúdos curriculares do semestre.

 

2.2 Objetivos Específicos

Nesta disciplina, espera-se que o aluno adquira habilidades e competências para:

  • Reconhecer competências e atributos da Atenção Primária à Saúde com vistas a desenvolver senso de comunidade, criação de vínculos, olhares para a focalização na família, orientação comunitária e competências culturais.
  • Compreender a hieraquização do SUS atentando para noções de administração orçamentária, financiamento em saúde, referência responsável.
  • Refletir sobre as principais linhas de cuidado, relevantes para as discussões nos espaços de saúde, associando-as com indicadores de saúde e os formatos das redes de atenção.
  • Apreender características voltadas para a gestão em saúde observando estratégias das políticas públicas a fim de garantir a eficácia na alocação de recursos na Atenção Primária à Saúde.
  • Conhecer os fluxos de gestão relacionados a políticas e programas de saúde, implementação dos mesmos e avaliação de resultados.
  • Apropriar-se dos Mapas de comunicação macro e micropolítica, buscando entender o papel protagonista do profissional médico nesta conformação.
  • Ter autonomia científica, intelectual e ética para assumir papel ativo em sua formação.
  • Construir conhecimentos, desenvolver competências e habilidades, e assumir atitudes e valores a partir do confronto com a realidade de inserção e atuação dos futuros profissionais médicos.

 

3 CONTEÚDO CURRICULAR

Atributos e competências da Atenção Primária à Saúde; Planificação da Atenção Básica à Saúde.

Hierarquização do SUS; Redes de Atenção à Saúde.

Características de referência e contra referência; Fluxos de encaminhamentos para média e alta complexidade (SISREG).

Alocação de Recursos Interfederativos.

Estrutura Orçamentária; Leis Orçamentárias; Comissões intergestoras.

Sistemas de Informação em Saúde E-SUS; SISAB; SIOPS.

Fundo Municipal da Saúde/Fluxogramas descritores.

Indicadores em Saúde.

Atribuições do Profissional Médico na Gestão da APS.

 

4 METODOLOGIA

A metodologia utilizada é interacionista-problematizadora, utilizando-se a metodologia da problematização como desencadeadora do processo de aprendizagem. A disciplina é desenvolvida a partir de vivências nos cenários de práticas (atenção básica/gestão), discussão nos grupos tutoriais e socialização das vivências, tendo-se tutores e docentes como mediadores do processo de aquisição do conhecimento. Seu desenvolvimento está centrado na observação, na análise, no aprender a pensar, no diálogo, na reflexão, na capacidade de criar hipóteses e testá-las com base no conhecimento prévio e/ou apoiado nos conteúdos curriculares do semestre e/ou em novas descobertas. A socialização das vivências é apresentada sob a forma de seminário integrado.

 

5 AVALIAÇÃO

A avaliação do desempenho dos alunos se dá permanentemente, nos cenários de práticas, no tutoriais, nos seminários integrados e nas atividades teóricas. Está pautada na capacidade do grupo em problematizar, teorizar, hipotetizar e apresentar soluções ao problema identificado e, na apresentação dos seminários temáticos durante o semestre. Após cada seminário temático, são aplicados pós-testes, a todos os acadêmicos, como critério de avaliação semanal. São realizadas também provas teóricas semestrais. As avaliações têm caráter formativo, somativo e diagnóstico. A avaliação formativa objetiva identificar avanços e limitações dos alunos, orientando-os aos ajustes necessários durante o semestre (feedback). A avaliação somativa, ocorre por meio de avaliações teóricas e pós-testes e a avaliação diagnóstica embasa-se na demonstração da aquisição das competências, habilidades e atitudes inerentes aos objetivos da disciplina.

 

6 BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CAMPOS, Gastão Wagner de Sousa et al. Tratado de saúde coletiva. São Paulo: Hucitec, 2009, 2012.

DUNCAN, Bruce B. et al. Medicina Ambulatorial: Condutas de Atenção Primária Baseadas em Evidências. Artmed Editora, 2006, 2013.

PAIM, Jairnilson Silva; ALMEIDA FILHO, Naomar de (Org). Saúde coletiva: teoria e prática.  Rio de Janeiro: MedBook, 2014.

 

7 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

AGUIAR, Zenaide Neto. SUS: Sistema Único de Saúde - antecedentes, percurso, perspectivas e desafios. São Paulo: Martinari, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Doenças infecciosas e parasitárias: guia de bolso. 8ª ed. rev. Brasília: Ministério da Saúde, 2005, 2010.

CANGUILHEM, Georges. Escritos sobre la medicina. Buenos Aires: Amorrortu, 2004.

CONSELHO NACIONAL DE SECRETÁRIOS DE SAÚDE (BRASIL). Atenção primária e promoção da saúde. Brasília: CONASS, 2007.

GUILHEM, Dirce; DINIZ, Debora; ZICKER, Fabio (Coord.). Pelas lentes do cinema: bioética e ética em pesquisa. Brasília: Letras Livres, 2007.

 

 

Notícias do Curso

Ver todas