Plano de EnsinoURI Erechim
 

PLANO DE ENSINO

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA

Disciplina: BIOESTATÍSTICA ESPECIAL

Código: 10-423

Carga Horária: 30   (Teórica – 30)   (Prática – 00)

Nº de Créditos: 2

 

1 EMENTA

Introdução a testes de hipóteses. Comparação entre as médias de duas amostras independentes. Comparação entre médias de duas amostras pareadas. Teste Qui-Quadrado. Análise de variância. Testes não paramétricos.

 

2 OBJETIVOS

OBJETIVO GERAL

Conhecer as noções básicas da organização, apresentação, interpretação e análise de dados estatísticos nas áreas de abrangência das ciências biomédicas.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Espera-se que ao final do semestre os alunos estejam aptos às seguintes habilidades e competências:

- Demonstrar compromisso com a competência técnica e com o conhecimento científico;

- Demonstrar capacidade de trabalho em equipe e de liderança;

- Acessar sistemas de informação;

- Executar pesquisa nos sistemas de informação;

- Aplicar os princípios de Bioestatística e Epidemiologia na leitura crítica de artigos técnico-científicos;

- Utilizar a Estatística Descritiva para resumir informações científicas pertinentes a um tema pesquisado;

- Utilizar princípios da Estatística Inferencial para comparar tratamentos estatísticos;

- Considerar que a Estatística deve pautar as conclusões de toda pesquisa quantitativa e em geral também das pesquisas qualitativas;

 

 

3 CONTEÚDOS CURRICULARES

3.1 Introdução

3.1.1 Aplicação da estatística nas ciências da saúde

3.1.2 Conceitos básicos (amostra, população, variáveis)

3.1.3 Organização e apresentação de dados (tabelas e gráficos)

3.2 Estatística descritiva

3.3 Distribuição de probabilidade

3.4 Testes de hipóteses

3.4.1 Testes paramétricos

3.4.2 Testes não-paramétricos

3.5 Correlação e regressão

 

 4 METODOLOGIA

 As aulas serão desenvolvidas com enfoque teórico-expositivas e dialogadas, com a utilização de recursos multimídia bem como aulas práticas, com o auxílio de software (planilha eletrônica e software estatístico) em laboratório de informática ou utilizando computadores próprios. Além disso, estudos de casos clínicos com relevante enfoque estatístico devem ser analisados e discutidos em sala de aula e em grupos de trabalho, à distância, visando à integração dos conteúdos e práticas com a clínica interdisciplinar mantendo o foco no desenvolvimento do raciocínio clínico.

A fixação dos conteúdos será por meio de exercícios com estudos dirigidos e resolução de problemas em sala de aula e em casa.

O diálogo entre o professor e o aluno deve pautar a condução das aulas permitindo o desenvolvimento da habilidade da comunicação.

Necessidades matemáticas fundamentais para o desenvolvimento da disciplina serão revisadas no decorrer do semestre, visando o melhor preparo dos alunos para o sucesso na disciplina em questão.

 

5 AVALIAÇÃO

A avaliação será constituída de prova(s) teórica(s) sem consulta, individuais, trabalhos individuais e/ou em grupos de natureza aplicada/prática (orais e escritos), frequência, participação. Prevêem-se trabalhos que envolvam a leitura e apresentação de análises da estatística envolvida em artigos científicos da área da saúde.

 

 

BIBLIOGRAFIA

6 BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ARANGO, Héctor Gustavo. Bioestatística: teórica e computacional. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012, 2011, 2001.

CALLEGARI-JACQUES, Sidia Maria. Bioestatística: princípios e aplicações. Porto Alegre: Artmed, 2008, 2006, 2005.

VIEIRA, Sônia. Introdução à bioestatística. 4. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008, 2000, 1998, 1981, 1980.

 

7 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BEIGUELMAN, Bernardo. Curso prático de bioestatística. Ribeirão Preto: FUNPEC, 2002.

MAGNUSSON, W.E., MOURÃO, G. Estatística sem matemática: a ligação entre as questões e análise. 2.ed. Londrina: Planta, 2005.

MOTTA, Valter T.; WAGNER, Mario B. Bioestatística. Caxias do Sul: Educs, 2003.

RODRIGUES, P. C. Bioestatística. 3.ed. Niterói: EDUFF, 2002.

VIEIRA, Sônia. Bioestatística: tópicos avançados: testes não-paramétricos, tabelas de contingências e análise de regressão. 2. ed., rev. atual. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

 

 

 

Notícias do Curso

Ver todas